Nesta quinta-feira (11), a Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul realizou sessão solene nas dependências da Sociedade Caxias, em Santa Luzia, em comemoração aos 100 anos do bairro.

 

 

A proposição, do presidente da Câmara Marcelindo Gruner (PTB), em parceria com a associação de moradores, foi uma forma de reconhecer e valorizar a história do local.

E com um século de vida, história é o que não falta para o Santa Luzia. Separamos para você 3 curiosidades sobre o passado do bairro que contribuíram para seu desenvolvimento.

1. Se não fosse pela fé dos imigrantes, bairro teria outro nome

Nas terras herdadas pela princesa Dona Francisca e exploradas principalmente pelos imigrantes italianos, a fé inabalável dos italianos motivou a escolha do atual nome do bairro.

Foto Eduardo Montecino/OCP News

No início, a localidade era conhecida como “pântano mole”, pois a terra não era apropriada para plantio. A história conta que muitos chegavam, olhavam e davam meia volta, dizendo: “isso é um pântano mole, não dá pra fazer nada!”

2. Os Maffezzolli

A primeira família a acreditar no potencial do local e se estabelecer na região foi a família Maffezzolli, formada pelo casal Antônio Henrique e Tereza Maffezzolli.

Além deles, as famílias: Nicolini, Pedri, Piccoli, Pretti, Voltolini, Bagatoli, Prestini, Tomelin, Leone, Vicenzi, Ropelato, Bisoni, Campregher. Algumas, como Ballock, Ramthun, Gumz e Rosá chegaram alguns anos mais tarde.

3. O valo que deu início a tudo

É impossível falar dos 100 anos de história do bairro Santa Luzia e não falar do valo da comunidade. Afinal, foi a sua construção, em 1934, que possibilitou o acesso de água para as plantações de arroz, dando o pontapé inicial para o crescimento de Santa Luzia. Até hoje o valo faz parte da economia e da paisagem do bairro.

Foto Eduardo Montecino/OCP News

A importância do valo e o envolvimento da comunidade deu origem, em 1952, à Associação do Valo Agrícola-Industrial, quando o bairro iniciou seu processo de desenvolvimento agrícola, característica que mantém até hoje.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito: 

WhatsApp  

Telegram  

Facebook Messenger