Em tempos em que computadores, celulares e tablets fazem parte do dia a dia do ser humano, vale reforçar a importância dos cuidados que devemos ter com a nossa saúde, em especial, da nossa visão.

O oftalmologista e retinólogo, Dr. Marcos Martins, ressalta que o uso excessivo de eletrônicos causa a Síndrome Visual associada ao uso do computador (CVS) que consiste em um esforço exagerado dos músculos responsáveis pelo foco da visão de perto.

Segundo ele, o cansaço visual decorrente desse esforço pode ser sentindo de formas diferentes em cada pessoa.

"Alguns experimentarão o embaçamento visual simples, outros sentirão cansaço, vermelhidão dos olhos, ardência, dores oculares ou dores de cabeça. Ressecamento ocular também é comum para aqueles que trabalham muitas horas por dia na frente do computador", explica.

Martins pontua que, hoje todas as idades estão utilizando as telas de LED/LCD em celulares, tablets, computadores e televisões para as atividades diárias, desde crianças, jovens, adultos e até na idade avançada. E para ele, isso merece atenção, já que inúmeros trabalhos científicos epidemiológicos têm identificado o aumento da incidência de miopia em crianças e relacionado ao uso excessivo da visão de perto.

"Essa faixa etária está em especial suscetibilidade ao excesso do uso de telas pois é a fase em que o grau do olho está em formação", acrescenta.

Foto Matheus Wittkowski

Porém, de acordo com o oftalmologista, quando se trata das consequências do uso excessivo de eletrônicos, excluindo o aumento da incidência de miopia nos jovens, possivelmente devido ao excesso de uso da visão para perto, nenhum esforço visual é prejudicial ao olho, apesar de ser contraintuitivo, pois imagina-se o contrário disso.

Martins explica que o esforço visual não está relacionado ao risco de perda visual por qualquer patologia ocular. Porém, tem relação direta com inúmeros sintomas, sejam eles oculares ou não.

Esses sintomas podem comprometer a qualidade de vida de forma a prejudicar as atividades diárias. Um executivo, por exemplo, que ao final do dia sente embaçamento visual e dores de cabeça devido ao uso excessivo de computador ou então uma costureira com dificuldades com o fio na agulha.

O que fazer para ter uma visão saudável

O oftalmologista ressalta que cada pessoa deve conhecer os próprios limites, pois algumas pessoas têm mais facilidades em atividades constantes na frente do computador enquanto outras sentem desconforto.

Hoje em dia os sistemas de configuração das telas têm a opção de desligar o excesso de luz azul e é muito aconselhável fazê-lo.

"O esforço visual está diretamente relacionado à distância de trabalho, quanto mais distante a tela dos seus olhos menos cansado você ficará. A postura sentada diante da tela de computador também é importante para evitar sintomas de torcicolo e distúrbios de esforço repetitivo", explica.

Dicas do Dr. Marcos:

  • Ter vários intervalos ao longo do dia também é importante, para as pessoas com mais sintomas de cansaço é aconselhável fazer intervalos a cada 30 minutos.
  • É recomendado o uso de colírios lubrificantes, já que a atenção na leitura faz com que a frequência das piscadas diminua muito causando ressecamento ocular. Piscar mais quando estiver usando o computador é uma boa dica.
  • No caso das crianças, deve-se diminuir o tempo usando aparelhos de tela e aumentar o tempo ao ar livre. Pois, segundo Martins, esse hábito previne os riscos de desenvolver uma miopia mais grave e precoce.
  • Para as pessoas que já usam óculos ou lentes de contato, se estiver com o grau atualizado e correto, a recomendação do oftalmologista é, principalmente, em relação ao ressecamento ocular para uso de lubrificantes oculares e correção da postura e distância em relação ao aparelho.

Martins também pontua que é interessante, se você usa óculos, adicionar proteção para o excesso de luz azul nas lentes dos óculos.

"A luz azul tem sido relacionada em trabalhos científicos, ao cansaço visual mais intenso e também à capacidade do cérebro em determinar o ciclo circadiano, que significa a identificação natural se é noite ou dia e, portanto, envolvida na regulação do sono", diz.

Ele ainda explica que doenças graves podem ser assintomáticas ou estarem associados a sintomas discretos. "Qualquer sintoma de desconforto vale a pena ser investigado, não se esquecendo de que consultas periódicas podem prevenir uma doença silenciosa" finalizou.

Sobre o especialista

O Dr. Marcos Martins (CRM 19639 e RQE 11168) atende no Centro Oftalmológico Jaraguá, e faz parte do corpo clínico do Hospital Maternidade Jaraguá. É oftalmologista retinólogo formado pela Universidade Federal de Juiz de Fora, e residência médica de Oftalmologia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG - 2008).