Quais medidas Jaraguá do Sul está tomando para reduzir estragos de desastres naturais no futuro?

Foto: PMJS/Divulgação

Por: Maria Luiza Venturelli

28/05/2015 - 17:05 - Atualizada em: 28/05/2024 - 16:57

Desde abril deste ano, o Rio Grande do Sul enfrenta as consequências das chuvas extremas que atingiram o estado e geraram uma onda de solidariedade ao redor do país. As mudanças climáticas são a razão para que eventos extremos estejam se tornando mais frequentes e batendo recordes.

Segundo dados da Confederação Nacional de Municípios (CNM), dos 5.570 municípios brasileiros, 5.199 foram atingidos por desastres naturais entre 2013 e 2022. Jaraguá do Sul, como qualquer lugar no mundo, está sujeita aos fenômenos da Mãe Natureza e já enfrentou graves desastres ambientais.

Em 2 de outubro de 1953, uma intensa chuva fez com que os rios e córregos da cidade subissem mais de seis metros, resultando na destruição de casas, animais e construções. Já em 29 de março de 1972, um forte temporal destruiu 16 pontes e provocou 160 deslizamentos, bloqueando várias vias e estradas.

Mais recentemente, em 2 de novembro de 2008, após quase dois meses de chuvas intensas em todo o Estado, a cidade sofreu com enchentes e desmoronamentos, causando grandes prejuízos financeiros e resultando na morte de 14 pessoas, sendo 13 vítimas de soterramento e uma de afogamento.

Enchentes de 2008. Foto: Arquivo OCP News

Medidas de contenção

Desde 2008, a Prefeitura de Jaraguá do Sul, em parceria com a Secretaria de Obras do município, tem implementado diversas melhorias em toda a cidade. Entre 2008 e 2024, foram realizadas mais de 115 intervenções preventivas.

Alguns exemplos são a reforma de entroncamentos, ampliação da capacidade de vazão, contenção de margens de rios, desassoreamento, substituição de tubos por galerias, e limpeza de pontes e valas em praticamente todas as regiões. Os investimentos para a prevenção de alagamentos e enchentes superaram R$ 15 milhões.

Neste período também estão inclusas as obras do Parque Linear Via Verde, projetado como uma área alagável para prevenir enchentes urbanas. Inspirado em modelos de Nova Iorque, Holanda e Curitiba, o parque tem contribuído significativamente para reduzir os impactos de alagamentos em áreas urbanas.

Foto: Arquivo OCP News/Fábio Junkes

De acordo com o promotor de justiça da Defesa do Meio Ambiente de Jaraguá do Sul, Alexandre Schmitt dos Santos, há cerca de 15 anos foi montado um grupo de trabalho para mapear as áreas de inundação em Jaraguá do Sul e regulamentar as restrições de uso dessas áreas para aterro.

A partir daí, começaram a ser discutidas alternativas, surgindo a ideia de transformar estes locais em parques lineares, de forma que as cheias dos rios não causassem grandes estragos.

“O rio ao sair do seu nível normal, tem essas áreas de escape da água de enchente e, a partir do momento em que as águas recuam, essas áreas podem ser novamente utilizadas pela população, após a devida limpeza. Exatamente o que ocorre na Via Verde agora”, explica o promotor, por meio da Prefeitura de Jaraguá do Sul.

Foto: Arquivo OCP News/Fábio Junkes

Além do que já foi feito, novas medidas estão sendo planejadas. Segundo o diretor de Captação de Recursos e Escritório de Projetos, Antônio da Luz, o Governo Federal liberou recursos por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (Novo PAC) para obras de prevenção de desastres naturais em Santa Catarina. Entre as propostas selecionadas, uma é de Jaraguá do Sul: mais de R$ 1,7 milhão que serão usados para contenção de encostas no bairro Rau.

“Além deste projeto, outras propostas também já foram protocoladas e estão sendo analisadas pelo Ministério das Cidades, em Brasília, para continuidade das ações de prevenção no município”, explica o diretor.

Os projetos que aguardam liberação pelo Novo PAC são para obras de enrocamento no Rio Jaraguá, implantação de galerias no bairro Santo Antônio e enrocamento e aumento de vazão no Rio da Luz. Juntas as propostas ultrapassam os R$ 14 milhões em investimentos.

Notícias no celular

Whatsapp

Maria Luiza Venturelli

Jornalista apaixonada por contar histórias inspiradoras, formada pela Faculdade Ielusc