A Doença de Crohn é considerada uma doença inflamatória intestinal, uma das mais comuns. Ela é considerada uma doença autoimune na qual o paciente possui uma falha no DNA, e em algum momento de sua vida, por alguma razão, este gene defeituoso pode ser ativado e o paciente passa a desenvolver imunidade contra si próprio.

De acordo com o coloproctologista, Dr. Guilherme Canfield, no caso da Doença de Crohn, o paciente desenvolve imunidade contra o próprio sistema digestório, e o corpo começa a atacar principalmente o final do intestino delgado, o intestino grosso e a região anal.

A prevalência da doença é de aproximadamente seis casos para cada 100 mil habitantes. Ele também pontua que não existe prevenção para a Doença de Crohn, devido a doença ocorrer por uma alteração herdada no DNA.

Sintomas

O especialista destaca que os sintomas podem ser os mais variados possíveis pois a doença pode acometer qualquer parte do trato digestório, da boca até o ânus.

“Usualmente a doença se inicia por uma enterocolite, com os sintomas mais comuns sendo a dor abdominal do tipo cólicas, diarreia com sangue e/ou pus, febre e perda de peso”.

Diagnóstico

O diagnóstico é feito com uma associação de dados clínicos: histórico do paciente e exame físico, somados a exames laboratoriais que podem sugerir a doença como provas de atividade inflamatórias alteradas.

O Dr. Guilherme ressalta que alguns marcadores mais específicos para a doença também existem e o exame de colonoscopia, é capaz de demonstrar a inflamação e permite biópsias para comprovação por estudo anátomo-patológico.

Foto: Matheus Wittkowski

Tratamento

Medicações imunossupressoras são indicadas para diminuir a atividade imunológica que está atuando contra o paciente e outras medicações podem atuar em mediar a atividade inflamatória exacerbada a qual o paciente está exposto.

Segundo o especialista, existe medicação para que se consiga fazer a remissão da inflamação, ou seja, retirar o paciente da inflamação aguda, e outras para manutenção do paciente em um estado de normalidade.

Consequências

Se não tratada a inflamação, esta atividade inflamatória exacerbada pode provocar fístulas, perfurações, entre outras complicações, além de que, em uma fase mais tardia pode deixar sequelas no intestino como fibroses, estenoses etc. O coloproctologista afirma que o risco de câncer está aumentado nessa população que está sob inflamação contínua do intestino.

Doença semelhante

A Retocolite Ulcerativa é uma doença semelhante a Doença de Crohn. Ela é também da classe das doenças inflamatórias intestinais e autoimunes, mas possui algumas características diferentes, por acometer unicamente o reto e cólon no trato digestório.

Sobre o especialista

O Dr. Guilherme Canfield é formado em medicina pela Universidade Positivo. Possui residência médica em cirurgia geral e coloproctologia pelo Hospital Universitário Evangélico de Curitiba. Coordenador e professor da disciplina de Clínica Cirúrgica da Faculdade de Medicina Estácio de Sá, em Jaraguá do Sul. Atua na CliniCanfield como coloproctologista, cirurgião geral e realiza exames de colonoscopia. CRM 18115 | RQE PROCTOLOGISTA 11597 | RQE CIRURGIÃO GERAL 9990

.