Com a confirmação do segundo caso de morte de macaco por febre amarela em Jaraguá do Sul, a Vigilância em Saúde declarou alerta contra a doença e está convocando quem ainda não se vacinou.

Estima-se que cerca de 16 mil jaraguaenses ainda não estejam imunizados contra a febre amarela. Quem não tomou a vacina, deve procurar uma das unidades de saúde do município.

Desde 2018, a Secretaria de Saúde de Jaraguá do Sul intensificou o trabalho de combate à febre amarela, doença que até então parecia erradicada no Brasil.

 

 

Nas chamadas zonas da mata, técnicos da Secretaria foram de casa em casa para aplicar a vacina. Além disso, campanhas de divulgação, vacinação nos supermercados e horários especiais nos postos de saúde foram adotados.

O alerta é para que essas pessoas procurem um posto de saúde e verifiquem sua situação. Quem tem mais de 60 anos deve conversar com um médico ou enfermeiro antes de tomar a dose.

Dois pacientes com suspeita

Além da morte de macacos, a internação de dois pacientes com suspeita de febre amarela no município reforça a necessidade de que as pessoas que ainda não se vacinaram procurem um posto de saúde.

Uma criança de 12 anos chegou a ser internada, mas já foi liberada e aguarda resultado de exame. Outro paciente foi transferido nesta sexta-feira para o Hospital Nereu Ramos, em Florianópolis, referência neste tipo de atendimento.

SC em alerta

A Secretaria de Estado de Saúde (SES), por meio da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVE/SC), emitiu no dia 20 de janeiro uma nota de alerta sobre a situação da febre amarela em Santa Catarina.

Nos primeiros 20 dias deste ano, foram registradas 64 mortes de primatas com suspeita da doença. Em janeiro de 2019, foram 20 mortes do tipo durante o mês.

Além disso, na semana passada, um caso de febre amarela em humano foi confirmado em São Bento do Sul.

Fonte: PMJS

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul