Uma tucana que uma asa cortada passa por reabilitação na Fujama (Fundação Jaraguaense do Meio Ambiente), em Jaraguá do Sul.

Tuca, como foi batizada pelos servidores da fundação, chegou muito debilitada e agora passa por cuidados.

O biólogo Christian Raboch conta que o bicho foi entregue voluntariamente para a fundação em setembro de 2020.

 

Ele explica que a ave foi mantida ilegalmente em cativeiro por três anos. O animal ficava preso em uma gaiola minúscula e provavelmente só com um poleiro.

Foto: Christian Raboch/Arquivo Pessoal

“A pessoa tosava uma das asas dela. Quando ela chegou, não conseguia nem ficar em pé. Ela não passava de um poleiro para o outro e não ficava em pé direito no chão. Ela ficava caindo porque não tinha equilíbrio. Ainda não cresceram todas as penas da asa”, comenta o biólogo.

Tuca chegou na Fujama desnutrida e com uma rachadura no bico, com falta de vitamina A e outros problemas.

O plano é fazer a reabilitação para soltar o animal na natureza.

Se o trabalho não der certo, a tucana será encaminhada para um centro de reabilitação de animais em Florianópolis.