Desde o fim de semana, uma mancha de aparência estranha no rio Itapocu chama a atenção de quem passa pelas margens da Via Verde.

Segundo o Samae de Jaraguá do Sul, a espuma avistada pelos jaraguaenses foi resultado de uma mistura acidental entre dois produtos químicos utilizados nas diversas etapas do tratamento de esgoto da estação da Ilha da Figueira.

O ocorrido causou indignação na população jaraguaense que compartilhou as imagens e até vídeos da mancha nas redes sociais.

 

A autarquia emitiu um comunicado oficial sobre o fato ocorrido na Estação de Tratamento de Esgoto da Ilha da Figueira.

Confira a nota na íntegra:

O Samae de Jaraguá do Sul esclarece que o fato ocorrido na manhã desta segunda-feira (13), na Estação de Tratamento de Esgoto da Ilha da Figueira, foi devido à mistura acidental de dois dos produtos químicos utilizados nas diversas etapas do tratamento, provocado por vazamento em uma das válvulas de manobra.

 

O cloreto férrico – coagulante químico utilizado para clarificar o efluente do reator anaeróbio –, entrou em contato com o antiespumante, separando as fases desse produto.

 

Com isso, a ação do antiespumante foi prejudicada e resultou na formação de material flutuante no Rio Itapocu.

 

Este fato não prejudicou o tratamento de esgoto ou o Rio Itapocu, por não formar precursores tóxicos, porém, modificou o aspecto visual devido à presença de material flutuante (espuma).

 

As equipes do Samae estão trabalhando para corrigir o ocorrido.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul

Facebook Messenger