Diagnosticado com Covid-19 em fevereiro desse ano, o morador de Jaraguá de Sul, Marcos Mauri Loff, de 51 anos, enfrentou grandes dificuldades no tempo que ficou hospitalizado. Segundo a família, ele foi considerado pelos médicos o paciente mais grave da UTI.

O aposentado passou 67 dias internado, sendo 37 deles na UTI do Hospital São José. A esposa, Maria Irondina Loff, conta que esses foram os piores dias da vida da família.

Foto: Arquivo Pessoal

"Foram os piores dias das nossas vidas quando ele ficou na UTI, porque a gente não podia vê-lo. Ele foi intubado no dia primeiro de março, no dia dois teve arritmia cardíaca e já no dia três os médicos ligaram dizendo que os rins dele não estavam mais funcionando", lembra a esposa.

Enquanto Marcos estava enfrentando diversos problemas no hospital, a família nunca perdeu a fé. Devota fiel de Nossa Senhora, Maria Irondina, junto com a filha Karol, foram até a gruta de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro para que a santa pudesse interceder pelo marido.

"Quando fez 30 dias da internação do meu marido, eu e minha filha fomos na gruta do Perpétuo Socorro pedir para a Nossa Senhora fazer algo por nós. Ele era um homem que tinha trabalhado muito e pedimos para ela fazer algo por ele, mas que fosse feita a vontade dela e não a nossa."

Foto: Arquivo Pessoal

Na semana seguinte da visita à Santa, os médicos ligaram para a família de Marcos informando que ele havia acordado e estava apresentando melhora. Na mesma hora Maria disse que isso só podia ser feito de Nossa Senhora.

"Quando os médicos ligaram dizendo que ele estava sentado, conversando e que iria para o quarto nos próximos dias, eu disse para o meu pai que tinha sido a Nossa Senhora, ela só estava esperando a gente ir conversar com ela." diz Maria.

Por mais que a notícia fosse boa, o processo de recuperação depois que Marcos saiu da UTI foi difícil. Ele dependia totalmente de alguém para ajudá-lo a fazer as coisas, como ir ao banheiro, tomar banho e realizar as refeições.

"Quando ele saiu da UTI foi um alívio, mas também uma fase muito difícil. Eu entrei com ele no quarto e não saí mais. Só que quando uma pessoa sai da UTI, ela não sabe onde tá (sic), ou o que aconteceu e com ele foi assim também. O Marcos tinha traqueostomia e sonda, então foi bem complicado, porque ele queria arrancar tudo. Foi uma semana muito difícil".

Mas Maria, com a fé que tem, nunca desacreditou da recuperação do marido. A esposa fez uma promessa que se o companheiro se recuperasse, ele sairia do hospital segurando nas mãos a imagem da Nossa Senhora, e foi isso que aconteceu. Depois de 67 dias internado, Marcos recebeu a tão esperada alta no dia 30 de abril e foi acolhido com uma emocionante surpresa dos familiares e de amigos no pátio do hospital.

"Meu pai nesses 67 dias sempre me falava, perca tudo, mas não perca a sua fé", disse Maria.

Além da surpresa que recebeu no hospital, ao retornar para a casa depois de quase 70 dias internado, a família de Marcos o recebeu com bolo, balões e mensagens de apoio.

Foto: Arquivo Pessoal

Foto: Arquivo Pessoal