O líder do governo na Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul, Marcelindo Gruner (PTB), se comprometeu na sessão ordinária de terça-feira (2) a entrar em contato com o secretário municipal da Educação, Rogério Jung, para tentar solucionar o impasse provocado em função do calendário de reposição das aulas na rede municipal. A medida, que começou a ser colocada em prática no sábado passado (29), para compensar os dias parados durante a greve dos servidores municipais, e prevê aulas em um sábado por mês até o fim do ano, tem rejeição de grande parte dos pais. Em redes sociais, muitas famílias reiteraram disposição de boicotar o calendário e não enviaram as crianças para a escola no sábado. Gruner concorda que a reposição precisar ser repensada. A manifestação do líder governo endossou a manifestação do vereador Arlindo Rincos (PSD), que ocupou a tribuna para sugerir que uma nova forma de reposição de aulas seja elaborada. Conforme levantamento apresentado por Rincos, a adesão às aulas no sábado foi baixa. Ele voltou a defender que uma das formas de compensação seria a concepção da sexta aula nos dias letivos. Esta possibilidade já foi praticamente descartada pelo secretário Rogério Jung e pelo prefeito Antídio Lunelli, que na semana passada, em carta aberta à população, disseram ser inviável esta prática, já que muitos professores dão aulas em diferentes unidades e precisam deslocar-se, além de impactar em horários de transporte, entre outros. Leia mais: Prefeitura vai recorrer contra multa, mas deve oferecer merenda aos sábados Leia mais: Em carta aberta, prefeito e secretário explicam política de reposição as aulas Secretário considera índice 60% dentro do esperado Apesar das reclamações dos vereadores e de alguns pais, o calendário não deve mesmo ser alterado. A presença de 60% dos alunos da rede municipal de ensino, além dos professores e profissionais de apoio das escolas e dos centros municipais de educação infantil, no sábado, para o secretário de Educação, Rogério Jung, ocorreu dentro da normalidade e da expectativa da secretaria. Ainda segundo ele, o calendário de reposição definido por uma comissão será mantido, apesar de alguns pedidos para alterações. Sobre a decisão da Justiça, de exigir que o município disponibilize pessoal de limpeza e merenda nas unidades de ensino, sob pena de multa de R$ 10 mil para cada dia de descumprimento, o secretário destaca que o Jurídico da Prefeitura está recorrendo e, caso a decisão judicial seja mantida, ela será cumprido a partir do dia 27 deste mês, que será o segundo dia de recuperação do calendário.