A criação de um Fundo de Proteção e Defesa dos Animais e do Conselho Municipal de Proteção e Defesa dos Animais (CMPDA) foi tema de discussão realizada nesta semana na Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul. Segundo o presidente da Câmara, vereador Pedro Garcia, a discussão é antiga e a intenção é que saia do papel a partir de agora. "Na gestão passada, nós já trabalhamos neste projeto. Já existe uma minuta sobre o tema", disse ele. O objetivo é assegurar a posse responsável dos animais e o bem-estar dos mesmos, garantir a sanidade, combater as zoonoses e desenvolver medidas de controle da natalidade via esterilização controlada, entre outras ações. Pelo texto do projeto, os recursos do fundo serão administrados pelo Conselho Municipal de Proteção e Defesa dos Animais e serão utilizados para financiar ações de auxílio, de assistência financeira e para complementação de programas e campanhas em favor da adoção de medidas de segurança aos animais. O vereador Anderson Kassner ressalta que a intenção é buscar recursos por meio do fundo e do conselho para diminuir o problema do abandono de animais no município. Maria de Lurdes Pellense, integrante da Ajapra (Associação Jaraguaense de Proteção aos Animais), concorda que as ONGs do município precisam de ajuda financeira para seguir com os trabalhos que são desenvolvidos. Para dar andamento ao projeto está sendo marcada uma reunião com o Executivo para a semana que vem para tratar destas ações. O vereador Eugênio Juraszek não participou da reunião, mas ao tomar conhecimento diz que também está empenhado na questão. O parlamentar lembrou que o bairro onde mora, o Garibaldi, é um dos mais afetados pelo problema de animais abandonados vagando pelas ruas que são jogados não só pelos moradores mas por pessoas de outros bairros. *Com informações da assessoria de imprensa da Câmara