A ampliação da vacinação contra a febre amarela ocorrerá de forma gradual em todo o Brasil, segundo anúncio do Ministério da Saúde. Pelo cronograma, o Estado de Santa Catarina passará a vacinar toda a população a partir de julho de 2018. A medida foi tomada após o segundo ano de alta no número de casos da doença e com a maior proximidade do vírus nas zonas urbanas. De acordo com a supervisora do Programa de Imunização de Jaraguá do Sul, Ana Kneipp, a recomendação para vacinação contra a febre amarela permanece indicada ao público-alvo estabelecido anteriormente. Por enquanto, recebem as doses as crianças na faixa dos nove a dez meses de idade e quem viaja para as áreas de maior risco. Segundo dados do Ministério da Saúde, Minas Gerais continua o Estado mais afetado pela doença, com 415 casos e 130 mortes. São Paulo ocupa o segundo lugar, com 376 pessoas afetadas e 120 óbitos. “A partir de julho, a vacina será aberta à população e a aplicação vai acontecer conforme as orientações do Estado. Por exemplo, há recomendação de priorizar quem mora mais perto da região de mata. No entanto, salvo os casos em que a vacina não é recomendada (como pessoas acima dos 60 anos), toda a população poderá ser imunizada”, explica a supervisora. Panorama da doença no país Segundo o último boletim epidemiológico, divulgado ontem, no período de monitoramento (de 1º de julho/2017 a 20 de março de 2018), foram confirmados 1.098 casos de febre amarela no Brasil, sendo que 340 vieram a óbito. Ao todo, foram notificados 4.102 casos suspeitos, sendo 2.150 já descartados e 854 ainda em investigação, neste período.