A partir deste sábado (1º), equipes da Secretaria de Saúde de Guaramirim estarão visitando as residências da área rural do município para verificar a carteira de vacinação e imunizar os moradores contra a febre amarela.

A aplicação das doses na zona rural atende uma determinação do Ministério da Saúde e será feita nos estados onde a transmissão é considerada possível, principalmente para quem não está imunizado e se expõem em áreas de mata, onde o vírus ocorre naturalmente.

O primeiro bairro a ser visitado será o Rio Branco, das 9h às 16h. Os profissionais estarão devidamente identificados para fazer o atendimento e vacinas as pessoas com idade entre nove meses e 59 anos.

O secretário de Saúde, Marcelo Deretti, pede que os moradores fiquem atentos ao cronograma e estejam em casa no dia estipulado para o local onde mora. Caso esteja em casa no momento da visita, o cidadão irá receber um comunicado para comparecer na unidade de saúde onde é cadastrado e realizar a imunização.

O próximo bairro a receber a campanha é o Guamiranga, no dia 15, depois o Caixa D'Água e o Bruderthal, no dia 22, e por último, a Corticeira, no dia 29.

Conforme Deretti, após finalizar a campanha na área rural e novas doses da vacina chegarem, a campanha será aberta para os demais moradores da cidade pertencentes ao público-alvo.

Visitas à área rural também vão acontecer em Jaraguá do Sul

Segundo a supervisora de imunização da Secretaria de Saúde, Ana Kneipp, Jaraguá do Sul também vai intensificar a vacinação contra a febre amarela na zona rural da cidade.

As unidades de saúde dos bairros Rio Cerro, Rio da Luz, Rio Molha, Santa Luzia e Santo Estevão estarão abertas nos dias 1, 15, 22 e 29 de setembro para receber os moradores dessas regiões.

Nestes sábados, três equipes volantes da Secretaria de Saúde estarão visitando as residências destes locais para vacinar as pessoas com idade entre nove meses e 59 anos.

A ação ainda vai ganhar força nos seguintes bairros: Nereu Ramos, Tifa Schubert, João Pessoa, Barra do Rio Cerro, Rio Cerro II, Jaraguá 99, Ilha da Figueira e Boa Vista.

No restante das unidades, a dose contra febre amarela continua disponível normalmente.

Brasil vive maior surto de febre amarela em 14 anos

Somente entre julho de 2017 e maio de 2018, o Ministério da Saúde confirmou 415 mortes causadas pela doença. A febre amarela pode matar em menos de dez dias, provocando uma devastação no corpo com sintomas como icterícia, dores abdominais, vômitos e sangramento por boca, nariz, olhos e estômago.

No período de 1 janeiro a 23 de agosto de 2018, foram notificados 52 casos suspeitos de febre amarela em Santa Catarina, um deles foi em Guaramirim. Desses, um foi confirmado por critério laboratorial e 51 foram descartados.

O caso confirmado de febre amarela é de um residente do município de Gaspar, com histórico de viagem para o município de Mairiporã (SP), o que caracteriza como sendo um caso importado.

Quem não deve tomar a vacina:

  • Pessoas com imunossupressão secundária à doença ou terapias;
  • Imunossupressoras (quimioterapia, radioterapia, corticoides em doses elevadas);
  • Pacientes em uso de medicações anti-metabólicas ou medicamentos modificadores do curso da doença (Infliximabe, Etanercepte, Golimumabe, Certolizumabe, Abatacept, Belimumabe, Ustequinumabe, Canaquinumabe, Tocilizumabe, Ritoximabe);
  • Transplantados e pacientes com doença oncológica em quimioterapia;
  • Pessoas que apresentaram reação de hipersensibilidade grave ou doença neurológica após dose prévia da vacina;
  • Pessoas com reação alérgica grave ao ovo;
  • Pacientes com história pregressa de doença do timo (miastenia gravis, timoma).

Quer receber as notícias no WhatsApp?