A partir desta semana, as unidades de saúde de Jaraguá do Sul começam a funcionar com um novo modelo de atendimento, que reorganiza o fluxo da Atenção Básica e visa a ampliar a atuação dos enfermeiros na rede municipal e aumentar a resolutividade dos casos de pacientes.

A expectativa é acabar com as filas de espera pelos atendimentos de clínico geral na rede de atenção básica, que atualmente retém cerca de 11 mil pacientes.

Com os novos protocolos, não haverá agendamento prévio para primeira consulta com médico clínico. O primeiro atendimento será realizado por meio da escuta qualificada e depois o paciente será direcionado para a consulta de enfermagem, que resultará na resolução  do caso ou encaminhamento ao médico.

A gerente da Atenção Básica, Silvia Regina Bonatto Curty, enfatiza que os enfermeiros são profissionais com formação de nível superior, com respaldo legal do Conselho Federal de Enfermagem (COFEN) para a realização de consulta de enfermagem, solicitação de exames e prescrição de medicamentos, conforme protocolos clínicos de enfermagem e normativas técnicas do Ministério de Saúde.

Todas as 26 unidades de saúde do município contam com um enfermeiro de nível superior, com carga horária de 40 horas semanais para atender a população.

O modelo de protocolos está sendo implantando em Jaraguá a partir de um termo de cooperação assinado entre a Secretaria de Saúde e o Conselho Regional de Enfermagem de Santa Catarina (Coren), que está capacitando todos os enfermeiros gradativamente.

Nos protocolos, os atendimentos são divididos conforme a demanda. As categorias incluem: hipertensão, diabetes e outros fatores associados a doenças cardiovasculares; infecções sexualmente transmissíveis e outras doenças transmissíveis de interesse em saúde coletiva (dengue/tuberculose); saúde da mulher - acolhimento às demandas da mulher nos diferentes ciclos de vida; e atenção à demanda espontânea de cuidados no adulto.

Novo sistema deve diminuir as filas de espera

De acordo com a gerente da atenção básica, o novo fluxo vai influenciar na fila de espera. "Com o modelo, vamos parar de alimentar a lista de pacientes novos que aguardam por atendimento de clínico geral. A pessoa não vai mais chegar na unidade e ser colocada em uma fila para passar pela avaliação médica", aponta.

Sílvia acredita que o sistema vai trazer mais resolutividade para os moradores de Jaraguá do Sul. Em Florianópolis, onde os protocolos já foram implantado há cinco anos, houve um aumento de 30% na procura pela rede municipal de saúde e na solução dos casos.

Atualmente, a maior lista de espera da atenção básica é para consultas com clínico geral, com 11.224 pessoas. Segundo Sílvia, o objetivo é zerar esta fila até o final de março de 2019 por causa do modelo de protocolos.

Conforme dados do site da Prefeitura, para atendimento ginecológico, a lista tem 37 pessoas aguardando, no entanto, na lista de espera para serviços especializados tem 689 mulheres. Já para consultas com geriatra são 54 pacientes.

A área de pediatria tem 817 crianças esperando consulta, com média de 60 dias para acontecer o primeiro atendimento.

Sílvia ressalta que com o novo fluxo por demanda espontânea as pessoas não precisam ir no começo da manhã às unidades de saúde para garantir o atendimento.

Filas na atenção básica

  • Clínico geral: 11.224
  • Pediatra: 817
  • Geriatra: 54
  • Ginecologista: 37

Fonte: Prefeitura de Jaraguá do Sul

-

Quer receber as notícias no WhatsApp?