Bastou pedir aos organizadores da festa a indicação de uma pessoa conhecida nos corredores da Schützenfest que um nome veio à tona: Bruno Marschall. Sem titubear, ele foi classificado como um dos “mais simpáticos”. Por esbanjar alegria por onde passa, já virou figurinha carimbada da Festa dos Atiradores de Jaraguá do Sul, que segue até domingo (20). Em dois minutos de conversa, foi possível perceber que a propaganda feita sobre o encanador não era mentira. Entre risadas, piadas e muita descontração, o jaraguaense contou sua relação com a Schützen, onde atua há 20 edições. Marschall conta que, como é funcionário da Prefeitura, trabalha antes, durante e depois que a festa acaba, cuidando da manutenção hidráulica. São ligações de água, canos, suporte nos banheiros e onde for preciso. “Saímos meia noite daqui, ou até mais tarde, mas no outro dia já estou de pé às 6 horas. Às vezes se torna cansativo, mas eu já chego fazendo brincadeiras e divertindo todos, não tem estresse”, revela. E carregando toda essa energia ele atravessa os pavilhões da festa. Entre “oi” para um amigo aqui, um aceno para um conhecido lá, mantém os olhos nas atrações que estão nos palcos. “Eu sempre falo que sou amável, simpático, curto e grosso. Acho que por isso o pessoal gosta, sou sincero”, diz em meio a risadas. Marschall acredita que essa leveza, que gera momentos de descontração em meio ao sério trabalho, é uma forma de encarar bem a rotina, que tende a ser pesada devido à correria da festa. “O que acho mais legal de trabalhar aqui é que as pessoas são muito simpáticas. O povo passa, conversa, cumprimenta, sempre. É uma festa de gente feliz, que quer brincar, se divertir”, enfatiza. Com o inconfundível colete laranja e o chapéu no estilo germânico, com broches pendurados e uma faixa nas cores da bandeira da Alemanha, o encanador segue para mais um dia de trabalho. No caminho, claro, pausas para um bate-papo e para desfrutar, nem que sejam por alguns minutos, os bons momentos que a Festa dos Atiradores e dos ‘Amigos’ tem para oferecer. Ajuda para acertar o alvo Apesar das dicas expostas em um banner, nos corredores dos estandes de tiro, a ajuda de um profissional no assunto é sempre bem vinda. E é nesse momento que o dentista, José Carlos Dascheck, entra em ação. Membro da Sociedade Vieirense desde 1991 e praticante de tiro há 24 anos, ele é um dos voluntários que atua nos estandes da Schützen. “Nosso trabalho é distribuir da melhor forma a fila para dar agilidade e orientar o pessoal que vai atirar. Eles olham as dicas no banner, mas nós sempre ensinamos como pegar a arma, fazer a mira e controlar a respiração”, explica. Essa última, combinada com a concentração, é item fundamental para um bom tiro, segundo Dascheck. José Carlos_voluntário no estande de tiro_EM

Dascheck é da Sociedade Vieirense e atua como voluntário nos estandes da Schützen

Para que o visitante absorva todas as informações e se saia bem no tiro, ele comenta que é preciso ser atencioso e cuidadoso em todo o atendimento. Além da simpatia, que não pode faltar. “Muitas vezes a forma como os tratamos aqui, é o chamariz para que eles se interessem e procurem uma sociedade para continuar atirando. Isso é fundamental para a continuidade da tradição”, enfatiza. Acostumado a lidar com os jovens, já que trabalha com a equipe juvenil da sociedade, Dascheck diz que gosta de atuar em busca da renovação. “A Schützen é a coroação dos campeonatos de tiro de todas as sociedades e também é um celeiro onde encontramos muitas revelações. Muita gente começou a atirar na festa e hoje integra equipes em campeonatos oficiais”, revela. Apesar de serem dias de bastante trabalho, Dascheck afirma que sai da festa sempre feliz. “É muito gostoso estar aqui, vivendo esse momento de celebração da tradição. Sempre que a festa termina, a gente já fica com vontade de começar a outra porque o sentimento de que todo esforço valeu a pena fala mais alto”, completa. pagina 18