Um dos grandes nomes do rock e da música popular brasileira e compositor consagrado, Nando Reis, traz a turnê de seu mais recente trabalho para Jaraguá do Sul no domingo (31), às 20 horas.  O show "Voz e Violão", baseado no disco No Recreio, apresenta composições consagradas do cantor em um formato intimista, onde Nando Reis sobe ao palco apenas acompanhado de seu violão, voz e músicas, mostrando seu trabalho de uma forma diferenciada. Com 35 anos de carreira, sendo duas décadas de carreira solo, o ex-Titãs é autor de sucessos como Relicário, All Star e O Segundo Sol - composições também conhecidas na voz de Cássia Eller - e tem 15 trabalhos gravados  - entre álbuns produzidos em estúdio, ao vivo e dvds.  “No Recreio – Voz Violão”, foi gravado ao vivo em São Paulo e lançado em novembro do ano passado. Ele traz músicas clássicas de sua carreira, inclusive algumas que até então não havia sido gravada por ele, apenas por outros intérpretes. O disco, produzido pelo próprio cantor e mixado por Jack Endino (Seattle-EUA),  está disponível e à venda em plataformas digitais e também lojas de todo o Brasil, inclusive no formato vinil duplo. Em entrevista ao jornal O Correio do Povo, o músico fala do atual trabalho, da relação com suas composições  e carreira, e do novo disco de músicas inéditas que deve lançar ainda este ano. Intitulado "Jardim-Pomar", o trabalho conta com participações especiais, como a dos filhos Sebastião e Theodoro  da banda 2 Reis, entre outros.  O Correio do Povo - O formato voz e violão, do seu atual trabalho, remota ao início de sua carreira e as suas raízes. Como é para você se apresentar desta forma e porque escolheu este formato para a gravação do disco? Nando Reis: Sempre gostei de fazer shows nesse formato. Mas fiz muito poucos em tantos anos de carreira. Lançar o disco foi uma oportunidade de mostrar minha música nessa forma, e deu o suporte para que eu fizesse essa turnê. E nela toco uma parte das minhas composições que raramente ou nunca estão nos shows com banda. OCP -  Como é a relação com o público em um show neste formato, se sente mais perto dele? É diferente, especialmente quando toco em teatros. O grau de concentração e proximidade do público estabelece uma outra atmosfera, propícia para esse show. Conto histórias, leio poemas, enfim.... outro lado meu. OCP -  Como é sair do eixo Rio de Janeiro/São Paulo, entre outras grandes cidades que recebem grandes atrações, e se apresentar em cidades menores, como Jaraguá do Sul? Faço shows pelo Brasil inteiro, não faço distinção entre capitais, cidades grandes ou pequenas. Toda pessoa que comparece à um show meu recebe todo meu carinho e minha dedicação. OCP - Como é para você ver que suas composições atravessam os anos e continuam na boca das novas gerações, embalando um grande número de pessoas? É muito gratificante. Saber que minha música toca pessoas de todas as idades é uma confirmação do que penso, faço e creio: música boa é atemporal.  OCP - Como é para você externar sentimentos - amores, vontades, etc - através de suas composições e ver que elas caem no gosto do público e se tornam grades hits? Só posso falar sobre o que sinto. E não faço a menor ideia de como elas caem no gosto das pessoas. Felizmente. Assim fujo da ideia tóxica de que existe fórmula para compor. O que faz da música um sucesso (não apenas de execução massiva, mas de impacto na vida das pessoas) é misterioso, indecifrável. Faço música pensando em mim. Faço música para me agradar. OCP - Há mais de duas décadas você atua como solista. Qual o balanço que faz destes anos? Acho que a média das musicas que gravei nos meus discos é muito boa. Tenho mais acertos do que erros. OCP  - Você trabalha em um novo disco, o Jardim-pomar. Pode nos falar como será esse trabalho e quando será lançado? O disco sairá em Novembro. Foi produzido por Jack Endino e Barrett Martin. Gravado em Seattle e São Paulo. 12 musicas, sendo 11 inéditas, todas de minha autoria. Participações de muitos amigos, grandes músicos. É um belo disco. https://www.youtube.com/watch?v=mE6IESXLv1Y&index=5&list=PLZIJG95RAyOf0AqYXGrqgfJsXnPMxHsz6 SERVIÇO O quê: Show Nando Reis - Voz e Violão Quando: amanhã (31), às 20 horas Onde: Grande Teatro da Scar Quanto: Ingressos variam de R$ 80 a R$ 200. Eles estão à venda no www.ticketcenter.com.br e na bilheteria da Scar.