O Hospital e Maternidade Jaraguá informou nesta quarta-feira (2) que o teste do pezinho será ampliado.

Segundo o hospital, o Ministério da Saúde vai ampliar a triagem de doenças diagnosticadas no teste do pezinho pelo SUS. Com o projeto de Lei sancionado pelo Governo Federal na semana passada, o exame poderá identificar até 50 doenças. Até então, eram diagnosticadas apenas seis.

O teste do pezinho detecta, de forma precoce, alterações no sangue do bebê que podem indicar doenças graves de nascença, antes mesmo dos sintomas.

Após publicação, a nova lei terá o prazo de 365 dias para que sejam criados projetos-pilotos pelo Brasil para implementar, monitorar e avaliar a execução do teste do pezinho no novo modelo.

Segundo o Governo Federal, o exame passará a abranger 14 grupos de doenças. Essa ampliação ocorrerá de forma escalonada e caberá ao Ministério da Saúde estabelecer os prazos para implementação de cada etapa do processo.

Na primeira etapa da ampliação do teste está prevista a inclusão de doenças relacionadas ao excesso de fenilalanina; patologias relacionadas à hemoglobina; e toxoplasmose congênita.

Na segunda etapa, serão detectados: nível elevado de galactose no sangue; aminoacidopatias; distúrbio do ciclo de ureia; e distúrbios de betaoxidação de ácidos graxos.

Na terceira etapa, serão incluídas no Teste do Pezinho oferecido pelo SUS doenças que afetam o funcionamento celular, e, na quarta etapa, problemas genéticos no sistema imunológico.

A partir da quinta etapa será testada também a atrofia muscular espinhal. As mudanças entram em vigor 365 dias após a publicação da lei.

Com informações do Hospital e Maternidade Jaraguá e do Governo Federal.