Quem procura por meios alternativos e mais econômicos de locomoção terá agora mais uma opção por meio do sistema de caronas pagas. É que o Google anunciou nesta semana, em São Paulo, o lançamento no Brasil do serviço Waze Carpool, serviço de compartilhamento de caronas pagas entre usuários do Waze, aplicativo de mapas e trânsito da companhia. Inicialmente, o serviço entrará no ar nos próximos meses em São Paulo, a cidade com mais usuários do Waze em todo o mundo. Ele permite que o usuário que estiver precisando de uma carona possa pedi-la pelo aplicativo, em vez de chamar um táxi ou Uber. O Waze identificará os motoristas que estão fazendo aquele trajeto, e apontará um para o usuário. A empresa explica que só participarão os motoristas que quiserem. Esta carona será paga. A ideia é que o valor seja suficiente para cobrir os gastos com combustível e dar uma pequena compensação ao motorista, não mais do que isso – porque a ideia é desafogar o trânsito, não criar nova plataforma de trabalho (como é o caso dos serviços de táxi e Uber). O preço do serviço não foi divulgado. Mas na região metropolitana de São Francisco, nos Estados Unidos, onde está sendo testado, o valor máximo é de US$ 0,33 por quilômetro rodado (por passageiro). O pagamento é transferido automaticamente dos passageiros, via cartão de crédito, para o motorista. No teste, o serviço opera o dia inteiro – mas cada passageiro só pode pegar o Carpool duas vezes por dia. O Google acredita que se o Waze Carpool se tornar popular, será possível reduzir os congestionamentos em até 16%. Mas como os engarrafamentos continuarão a existir, a empresa também anunciou serviço o compartilhamento de local via Google Maps. Com a nova função, será possível compartilhar sua localização com outra pessoa: o Google Maps dirá a ela, usando informações de tráfego em tempo real, exatamente em qual horário você irá chegar (corrigindo essa informação conforme o trânsito for mudando ao longo do caminho).