Jaraguá do Sul tem 11 casos confirmados de dengue e 12 casos que aguardam resultado de exame. Por conta do crescimento de casos da doença este ano, a Secretaria de Saúde de Jaraguá do Sul está organizando a equipe de agentes de endemias para as três mil visitas que serão feitas de 3 a 13 de março em todos os 38 bairros da cidade.

As visitas acontecerão por conta do Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti, o LIRAa, uma exigência do Ministério da Saúde para municípios considerados infestados com o mosquito que ocorre duas vezes ao ano.

A força-tarefa em Jaraguá do Sul será realizada por 14 agentes de endemias que vão orientar os moradores e identificar possíveis locais onde o mosquito possa se reproduzir.

As residências que serão visitadas são sorteadas por amostragem pelo próprio sistema do LIRAa. As visitas precisam ser feitas durante o dia, portanto, as equipes visitarão os bairros no período das 7h30 às 16h30, podendo se estender até às 18 horas. Em caso de tempo chuvoso, o mutirão poderá ser prolongado.

Morador deve ficar atento a identificação do agente

Os agentes estarão identificados com o crachá da prefeitura, colete e a bolsa preta com a identificação bordada. Eles também estarão acompanhados de veículo identificado da Prefeitura de Jaraguá do Sul e terão em mãos fôlderes informativos de combate ao mosquito Aedes aegypti.

Ações específicas para cada região

Os dados compilados servirão para que o município possa tomar ações eficazes e específicas contra a proliferação do mosquito, dependendo do que for encontrado em cada região.

Por exemplo, se numa região o problema maior encontrado for relacionado a pratinhos que ficam embaixo de plantas, é nesse problema que o município vai se concentrar naquela determinada região, com orientação e vigilância.

“Queremos reforçar que a prefeitura não consegue combater o Aedes aegypti sozinha. É necessária a participação de cada morador, evitando deixar recipientes que possam acumular água em ambientes externos" enfatiza Aline Cristiane Borba Monteiro, supervisora de controle de zoonoses.

Ela ainda afirma que a orientação é para que seja feito um olhar clínico uma vez por semana na residência. Ralos não utilizados com frequência precisam ter uma tela de proteção. Calhas não podem acumular folhas, dessa forma, evita-se que o mosquito se reproduza e aumenta o combate a muitas doenças graves.

Dengue em números

33 casos suspeitos da doença
11 casos confirmados para dengue
12 casos aguardam resultado de exame
16 focos positivos para Aedes aegypti

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul