O Samae de Jaraguá do Sul emitiu um comunicado nesta segunda-feira (13) sobre o fato ocorrido na Estação de Tratamento de Esgoto da Ilha da Figueira ainda pela manhã.

De acordo com a autarquia, a espuma vista no rio Itapocu foi resultado de uma mistura acidental entre dois produtos químicos utilizados nas diversas etapas do tratamento.

Estação de Tratamento na Ilha da Figueira | Foto Divulgação

O fato aconteceu por causa de um vazamento em uma das válvulas de manobra. Conforme a autarquia, o problema já foi solucionado e não causou nenhum tipo de poluição ou despejo de esgoto no rio.

O Samae avalia a construção de uma nova estação de tratamento de esgoto na Ilha da Figueira por causa do crescimento demográfico da região atendida pela atual unidade, localizada na rua Via Verde.

De acordo com a autarquia, a futura estrutura não contará com este tipo de tratamento químico.

Confira mais trechos da nota:

"O cloreto férrico (coagulante químico utilizado para clarificar o efluente do reator anaeróbio) entrou em contato com o antiespumante, separando as fases desse produto.

Com isso, a ação do antiespumante foi prejudicada e resultou na formação de material flutuante no Rio Itapocu.

Este fato não prejudicou o tratamento de esgoto ou o rio porque não formou precursores tóxicos, porém, modificou o aspecto visual devido à presença de material flutuante (espuma)", informa o Samae.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul

Facebook Messenger