Na sexta-feira (30), a presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Kátia Bogéa, fez uma declaração sobre o pedido de revisão do tombamento do bairro Rio da Luz, que já vem sido discutido há um tempo pelos moradores da localidade e autoridades do município.

Segundo Kátia, a unidade estadual e federal do instituto devem entregar o mais rápido possível a revisão da normativa de tombamento do local, que irá diminuir as restrições para obras e serviços na região.

A presidente reitera que a ação é resultado de um pacto entre a Prefeitura de Jaraguá do Sul, os moradores do bairro e o Iphan.

 

 

O Rio da Luz passou a ser patrimônio histórico em 2007, o que preservou as características da colonização alemã na região, perceptível nas construções e conversas entre as famílias pelo dialeto germânico.

No entanto, conforme a Prefeitura, a medida dificultou o desenvolvimento do bairro, incluindo até serviços de conservação das estradas.

 

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger