Nos últimos dias, a maré no sul da América do Sul ficou extremamente baixa. Segundo a Epagri/Ciram, o fenômeno conhecido como maré seca foi provocado pelo vento forte e persistente de nordeste no litoral Sul do Brasil, associado a um intenso sistema de alta pressão (anticiclone) no oceano, que além da maré baixa gerou ondas altas e ressaca. "Foram registrados valores de -16 até - 65 cm", disse Gilsânia Cruz, meteorologista da Epagri/Ciram. Conforme a nota marítima da Epagri/Ciram, para cada ponto monitorado foram obtidos os seguintes valores: Balneário Camboriú = - 65 cm Imbituba = - 64 cm Balneário Rincão = - 59 cm Itapoá = - 55 cm São Francisco Sul = - 46 cm Florianópolis = - 46 cm Passo de Torres = -16 cm A Defesa Civil de Santa Catarina também chegou a publicar uma nota de esclarecimento na tarde de sábado (12) explicando a maré "seca" na costa catarinense que assustou os moradores. "Isso acontece devido aos ventos de nordeste que sopram no litoral do estado. Esses ventos carregam as águas do oceano. Como a Terra gira em torno de si mesma, essas águas são desviadas para a esquerda do vento no hemisfério sul, fazendo com que o mar literalmente recue, causando maré seca nas praias, principalmente nos horários de maré astronômica baixa. Essa situação não é anormal, já verificada em outras vezes. Com o avanço da frente fria, esse padrão muda completamente ao longo do dia". A defesa civil também disse que não há motivo para pânico. "Esse fenômeno acontece normalmente, porém, como a frequência é baixa, causa espanto", esclarece.
Recuo do mar em SC | Foto Defesa Civil