Com o aumento no número de casos de pessoas diagnosticadas com a Covid-19 em todo o país, aumentam as dúvidas sobre, por exemplo, quanto tempo duram os sintomas do coronavírus e como é o processo de recuperação da doença.

Infelizmente, não é possível determinar exatamente quanto tempo o coronavírus permanece no corpo porque isso depende da gravidade de cada caso.

Os sintomas da Covid-19 podem aparecer entre dois e 14 dias após a contração do vírus.

É por isso que muitos governos adotaram a medida de manter em quarentena durante 14 dias os visitantes que chegam ao país.

Algumas estimativas, porém, sugerem que os sintomas tendem a aparecer cerca de cinco dias após a exposição.

Segundo o farmacêutico, bioquímico e pós-doutor em Microbiologia, Alessandro Silveira, a infecção não ataca o corpo sem que ele reaja tentando se proteger.

 

 

De acordo com Silveira, assim que há a penetração do vírus nas células ativa-se a resposta do sistema imune, que defende o organismo através de uma inflamação.

"Nesse momento, as células migram para o local da infecção e partem para destruir o agente infeccioso", relata.

Quando o vírus penetra a célula infectada, o sistema imune não tem mais acesso a esse micro-organismo, por isso a estratégia da defesa é destruir a célula infectada para posteriormente eliminar as partículas virais.

Outra importante função do sistema imune é a produção de anticorpos, cujo intuito é neutralizar o vírus.

Como explica o pós-doutor em Microbiologia, anticorpos são proteínas, que, no caso do Covid-19, ligam-se às glicoproteínas S do vírus, fazendo com que o micro-organismo patogênico não consiga mais penetrar nas células e seja rapidamente destruído.

O processo de recuperação da Covid-19

Para os casos leves, onde os sintomas se assemelham muito aos de uma gripe comum, as pessoas tendem a melhorar por conta própria em 10 a 14 dias.

Em casos graves, quando o vírus afeta os pulmões causando pneumonia, os sintomas podem durar mais tempo e o processo de recuperação é muito delicado.

São estes pacientes graves que precisam ser hospitalizados e recebem tratamento intensivo contra o avanço da doença.

 

 

De acordo com Silveira, a Covid-19 é uma doença muito recente, ocasionada por um vírus que circula há pouco tempo no mundo, e que por isso ainda é difícil entender corretamente o seu funcionamento.

Segundo o bioquímico, pessoas com doenças crônicas e com mais de 60 anos são as que estão mais sujeitas a desenvolver formas graves da doença, porém, vários óbitos fora desse grupo já foram descritos no Brasil.

Com informações de assessoria de imprensa e da Women's Health.

 

Quer mais notícias do Coronavírus COVID-19 no seu celular?

Mais notícias você encontra na área especial sobre o tema:

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul