O problema não é novo: a distorção idade/série atinge mais de 7 milhões de estudantes no Brasil e é um dos principais fatores de abandono e evasão escolar. A informação é do estudo do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).

Apesar de destoar da realidade nacional quando o assunto são os ótimos números na educação, Jaraguá do Sul vai iniciar um projeto em parceria com o Sesi para otimizar o nivelamento escolar de alunos que estão com mais de 15 anos e com dois anos de repetência. A previsão é que as aulas de reforço iniciem em setembro.

Segundo o secretário de educação, Rogério Junk, esta já era uma demanda que os professores pleiteavam há algum tempo na intenção de melhorar o desempenho das crianças dentro da sala de aula.

Dos 15 mil alunos matriculados no ensino fundamental no município, cerca de 320 estudantes da rede municipal de ensino devem ser contemplados com esta iniciativa.

"Tem alunos com 15 anos na terceira série. Esta parceria com o Sesi será importante para ajudar esses estudantes que muitas vezes se sentem constrangidos de ainda terem aulas com os pequenos", explica.

Educação de qualidade

As aulas serão realizadas uma vez por semana sendo no total das atividades 20% presencial e 80% a distância.

Segundo o diretor de Ensino da Secretaria, Antônio Souza Júnior, o projeto será desenvolvido nas escolas Machado de Assis, Professor Francisco Solamon, Marcos Emílio Vierbinenn, Guilherme Hanemann, Rodolph Dornbusch.

“Escolhemos estas escolas porque estão próximas da maioria dos estudantes que têm essa dificuldade de aprendizado”, destacou Souza.

Para Luciano José Ross, diretor da Escola Municipal de Ensino Básico Machado de Assis, o trabalho vai oportunizar uma melhor qualidade no ensino destes alunos.

Atualmente, a instituição conta com 900 estudantes matriculados e vinte estão em situação de defasagem entre idade e série. "Precisamos oferecer um ensino público de qualidade para colhermos resultados positivos no futuro", salienta.

O investimento para o Projeto Nivelamento Escolar será de aproximadamente R$ 180 mil com duração de um ano, prorrogável para mais um.

Na avaliação do prefeito Antídio Lunelli, os investimentos em educação precisam ser constantes e devem atender todos os públicos. "A prioridade sempre será a educação. O ensino público precisa ser modelo. Essa busca é diária e tem várias frentes", reforçou.

Na região, a iniciativa já vinha sendo desenvolvida pelo Sesi nos municípios de Barra Velha e Massaranduba.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger