Lançado em 2017, o Projeto Estruturante de Lages é o primeiro projeto de rede isolada de gás natural de Santa Catarina. A partir dessa iniciativa, a Companhia de Gás de Santa Catarina (SCGÁS) pretende antecipar o atendimento do gás natural à região da Serra Catarinense, que dispõe, atualmente, apenas do Gás Natural Veicular (GNV).

Estimativa de mercado identificou potencial de atendimento inicial a, pelo menos, 649 consumidores: três indústrias, 167 estabelecimentos comerciais, 476 unidades residenciais e três postos de combustíveis.

O gerente de Operações da SCGÁS, Fernando Ferreira Margarida, destaca que as obras seguem em conformidade com as metas estabelecidas no Planejamento da Companhia.

“Temos como alvo, atender ao cronograma de gaseificação da rede local de distribuição, ao longo do quarto trimestre de 2019”, afirma o gestor, fazendo alusão à conclusão do processo licitatório de contratação dos serviços de logística do Gás Natural Comprimido (GNC) para o município de Lages.

“O gás natural poderá ser disponibilizado como alternativa de energético para o consumo em indústrias, estabelecimentos comerciais, tais como restaurantes, hotéis, padarias, supermercados, hospitais ou colégios, e ainda, para o consumo residencial”, acrescenta o coordenador de Vendas da SCGÁS, Rafael Barreto Nicolazzi.

A construção dessa rede isolada tem amparo na Resolução Nº 075 da Agência de Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina (Aresc), que permite a criação de projetos estruturantes para redes locais de distribuição de gás natural em Santa Catarina.

A rede isolada é um trecho de gasodutos, desconectado da rede principal, que pode ser abastecido por veículos que transportam o gás da rede principal até o local.

Foto Divulgação

Pioneiro no Sul do Brasil, o Projeto Estruturante de Lages é inspirado no modelo de atendimento de gás natural de algumas regiões de Portugal, na Europa, e em modelos já implantados no Estado do Rio de Janeiro, na Região Sudeste do Brasil.

A primeira fase do Projeto movimentou recursos da ordem de R$ 7,1 milhões, destinados à construção de 12,5 quilômetros de rede. As obras já foram concluídas na ruas Bruno Luersen e Rodolfo Floriani, e avenidas das Torres e Edésio Caon.

Até o próximo mês de julho, a rede será implantada na Rua Major Bibiano Rodrigues de Lima e avenidas Presidente Vargas, Luiz de Camões e Dom Pedro II. Para a próxima fase serão alocados investimentos em torno de R$ 4,2 milhões, para construção de mais 13 quilômetros de gasodutos.

Inicialmente, a rede deverá receber aproximadamente 180 mil m³ de gás natural por mês. A obra deve ser totalmente concluída em 2020. Segundo o Plano Plurianual de Negócios da SCGÁS 2014-2018, cidades do planalto norte catarinense devem ser contempladas com projetos semelhantes.