Projeto de rastreabilidade da banana é lançado em Corupá

Cotidiano

Por: OCP News Jaraguá do Sul

quarta-feira, 04:00 - 22/06/2016

OCP News Jaraguá do Sul
O Projeto de Rastreabilidade da Produção de Banana foi oficialmente entregue aos produtores locais na noite de ontem (21), em Corupá, com a presença do secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, Moacir Sopelsa. Criado pela Associação dos Bananicultores de Corupá (Asbanco), o projeto irá beneficiar mais de mil produtores que integram nove associações e duas cooperativas da região Norte do Estado. O objetivo da iniciativa é garantir a qualidade da banana e criar um banco de dados a respeito das etapas de produção do fruto. Segundo Sopelsa, o projeto ressalta o potencial da agricultura catarinense e mostra que é possível criar ferramentas que agreguem valor ao produto e, ao mesmo tempo, ofereçam mais segurança aos consumidores. “Este é um projeto que sem dúvida vai servir de exemplo e se estender para outros produtores do Estado e também para outras atividades agrícolas. Aos poucos, o próprio consumidor começa a exigir mais informações sobre o produto que consome. A tecnologia está aqui para nos ajudar e os produtores catarinenses têm aceitado isso e buscado formas de viabilizar este modelo. Este é um modelo que só tende a crescer”, afirma o secretário. O projeto é dividido em três etapas: a primeira contempla a aquisição de 192 balanças para a venda em quilo; a segunda envolve a montagem de nove centrais de informática para armazenamento dos dados; e a terceira diz respeito à implementação de um sistema de rastreabilidade, que será instalado nas associações a partir do dia 27 de junho. O principal destaque é o caderno de campo digital, uma espécie de diário que permite que os produtores façam o controle das atividades realizadas no pomar, como plantio de novas áreas, desfolha, ensacamento, adubação, manejo de pragas e colheita. De acordo com o presidente da Asbanco, Marcos Martini, uma vez implantado o novo sistema, a proposta é disponibilizar os dados para o consumidor final, que poderá acompanhar de perto todo o processo. “O produtor estará diretamente interligado com a associação, e todos estes dados estarão em um sistema integrado. Assim, o consumidor poderá ver de onde a banana vem e o caminho que ela passa para chegar até ele, tendo garantia de qualidade e procedência”, destaca. Os dados poderão ser acessados através de um site, que será disponibilizado ao público em cerca de 60 dias. Outro benefício é que o próprio produtor terá mais controle sobre a produção, afirma Martini, podendo estruturar processos de forma mais eficiente. “A aquisição das balanças também garante a venda por quilo, prevista por lei em Santa Catarina. Além de assegurar a venda por valores mais justos, o modelo evita que as caixas sejam comercializadas muito cheias, diminuindo os riscos de danificar a fruta”, destaca. Atualmente, os bananicultores utilizam caixas que comportam entre 16 e 22 quilos, mas não há uma pesagem exata antes da comercialização. O projeto conta com R$ 500 mil em investimentos, sendo R$ 400 mil apoiados pelo Programa SC Rural e outros R$ 100 mil de contrapartida das associações.  
×