O projeto Africanidade na Educação Infantil encerrou 2017 com 23 apresentações aplicadas nas escolas municipais e estaduais de Jaraguá do Sul, Guaramirim e Schroeder, segundo a autora do projeto Cleonice Lorencini. ''Venho fazendo esse trabalho desde o início do ano com a turma do magistério da escola Heleodoro Borges, em Jaraguá do Sul. Trabalhamos inicialmente em sala de aula e começamos a divulgá-lo mais em setembro. O objetivo não era somente trabalhar na Semana da Consciência Negra, mas sim o ano todo, como forma didática, pois sou professora de didática da Educação Infantil e estágio supervisionado", explica.
Vovó Mafalda e a boneca de pano interpretada por Sirlei da Rocha, 34 anos, aluna do magistério | Foto Divulgação
As apresentações da vovó Mafalda e a boneca de pano interpretada por Sirlei da Rocha, 34 anos, aluna do magistério, começaram no dia 8 de novembro e a última apresentação ocorreu no dia 1º de dezembro na Escola de Educação Básica Julius Karsten. "Conseguimos alcançar nosso objetivo. O nome do projeto é Africanidade na Educação Infantil, mas como tiveram pedidos para estender as apresentações, o projeto também foi levado para séries iniciais", comenta a professora, que teve a companhia de mais duas alunas nas escolas. Além das apresentações na região, o projeto ficou exposto em um estande no Museu Histórico Emílio da Silva, mostrando as ações pedagógicas realizadas com as crianças. "Foi um avanço bem grande para nós. Concluí meu trabalho satisfeita. Não conseguimos atender todas escolas, mas foi uma grande conquista. Chegou até a faltar datas para apresentações em outras escolas", lembra.
Alunas e professora do magistério aplicaram Projeto Africanidade em 23 escolas | Foto Divulgação
LEIA MAIS:  - Pedagoga da Heleodoro Borges desenvolve projeto inédito sobre africanidade com alunas do magistério - Para combater preconceito e levar a cultura afro, “Vovó Mafalda” vai percorrer escolas em Jaraguá - Museu Histórico Emílio da Silva recebe exposição Africanidades - Combate ao preconceito ainda é tema no Dia da Consciência Negra