O Procon determinou a suspensão das atividades de 11 agências bancárias em Florianópolis, na última terça-feira (15), por descumprimento da lei de tempo máximo de espera na fila.

As agências - da Caixa Econômica, Bradesco e Itaú - deverão apresentar um plano de adequação do atendimento para a distribuição de senhas, inclusive no lado externo da agência.

 

 

Conforme o órgão, mesmo após terem sido notificadas, as agências bancárias insistiram em não retornar com o atendimento ao público no horário mínimo de cinco horas.

Desde o início da quarentena, no ano passado, o Banco Central permitiu que as agências de todo o país alterassem o horário de funcionamento com o objetivo de manter o isolamento social.

No entanto, com a retomada das atividades e as medidas de flexibilização, o órgão vem recebendo diversas denúncias sobre a forma como o consumidor vem sendo atendido pelas instituições, com relatos de fila de espera de até duas horas para a retirada das senhas, fora o atraso nos atendimentos.

Os consumidores também reclamam que não têm acesso à água, cadeiras para descanso ou banheiros. O órgão exige a organização das filas de atendimento com distância mínima de dois metros entre os consumidores.

“Nós não vemos justificativa plausível para que essas agências continuem com o tempo de atendimento reduzido, deixando o consumidor em uma situação constrangedora, se o fato deles entrarem nas agências, pelo período regular de 15 minutos, não representa risco à saúde dos funcionários e nem dos próprios clientes”, afirmou o diretor do órgão, Tiago Silva.

O descumprimento da medida cautelar poderá implicar em pagamento diário de multa de R$ 100 mil, além de caracterizar crime de desobediência. Também será instaurado um processo administrativo e as empresas terão o prazo de dez dias para apresentarem uma defesa.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp