Com o levantamento de estragos abaixo do exigido pela Defesa Civil estadual, a Prefeitura de Jaraguá do Sul não decretou situação de emergência no município, como previsto. Incluindo danos em propriedades particulares, a estimativa é que os prejuízos causados pelas chuvas do dia 27 e 28 de dezembro somam R$ 9 milhões. O levantamento aponta a necessidade de investimento de aproximadamente R$ 6,7 milhões para recuperar estruturas públicas. Apesar do decreto facilitar a contratação de serviços, o secretário de Administração e Fazenda, Ademar Possamai, afirma que a prioridade será dar andamento nas obras. “Foi uma decisão administrativa. O tempo para fazer uma dispensa de licitação e uma concorrência seria o mesmo. O decreto não teria benefício já que não viriam recursos através dele”, explica. O primeiro passo será restaurar a estrutura de três pontes. O município deverá ser responsável pela construção das cabeceiras e a Defesa Civil do Estado deve liberar kits de transposição. “Estamos calculando em torno de R$ 700 mil a R$ 1 milhão [o investimento da Prefeitura nessas estruturas]”, apontou o secretário. Com as finanças apertadas devido à queda na arrecadação municipal, Possamai afirma que não há previsão orçamentária para as obras e que será preciso anular despesas ao longo do ano para cobrir o investimento. Outra preocupação é com pavimentações que precisam ser recompostas, especialmente na localidade Águas Claras, no bairro Ilha da Figueira. O município deve pleitear recursos por meio de emendas parlamentares e repasses diretos do governo federal.