A Prefeitura de Jaraguá do Sul divulgou uma nota nesta quinta-feira (4) rebatendo uma matéria do Jornal Hoje, da TV Globo, sobre a falta de transparência pública na vacinação contra a Covid-19, no Brasil.

Segundo a reportagem, veiculada hoje, um levantamento divulgado por "sete organizações da sociedade civil" aponta que há informações incompletas e diversas inconsistências nos portais do Ministério da Saúde.

 

 

Um dos temas abordados pela reportagem foi a duplicidade na lista de pessoas vacinadas. Conforme o levantamento, 25 mil pessoas aparecem mais de uma vez entre aquelas que foram imunizadas.

Na matéria, a diretora-executiva da Open Knowledge Brasil, Fernanda Campagnucci, cita o exemplo de uma mulher de 35 anos, de Jaraguá do Sul, que teria sido cadastrada oito vezes na lista de vacinados.

Em nota, a Prefeitura de Jaraguá do Sul afirma que foi feita uma busca nominal em todos os relatórios enviados pela Secretaria de Saúde ao Ministério da Saúde e nenhuma duplicidade foi encontrada.

"No entanto, foram constatadas inconsistências no envio de dados entre os sistemas do Município e do Ministério da Saúde. Tais falhas foram ajustadas e hoje o envio de dados segue sem relatórios de erros", diz a nota.

A prefeitura ainda alega que não foi consultada pela reportagem antes de a matéria ser veiculada em rede nacional, o que causou "prejuízo institucional à imagem da Secretaria de Saúde" e colocou em dúvida o trabalho feito pelos servidores que atuam na coordenação e aplicação de vacinas.

Confira a nota

Referente à reportagem veiculada no Jornal Hoje deste dia 4 de março, o Município de Jaraguá do Sul, por meio da Secretaria de Saúde, informa que fez uma busca nominal em todos os relatórios enviados ao Ministério da Saúde, nos quais, após análise e revisão, não constam duplicidades.
No entanto, foram constatadas inconsistências no envio de dados entre os sistemas do Município e do Ministério da Saúde. Tais falhas foram ajustadas e hoje o envio de dados segue sem relatórios de erros.
Portanto, o Município desconhece o relatório citado com tal duplicidade. Por fim, informa ainda que não foi consultado ou questionado pelo jornalista ou pela redação do jornal, antes de a matéria veicular em rede nacional, causando prejuízo institucional à imagem da Secretaria de Saúde e colocando em questionamento todo o trabalho que é feito pelos servidores que atuam na coordenação e aplicação de vacinas.