A Agência de Correios Comunitária instalada na rua Carlos Frederico Ramthum, no bairro Santa Luzia, será administrada pela Prefeitura de Jaraguá do Sul após o dia 25 de agosto, quando encerra o convênio com os Correios. Para não fechar a unidade e deixar os mais de 2,5 mil moradores do bairro sem o serviço, a Prefeitura firmou um acordo com a agência, que permite o atendimento à população local sem distribuição externa realizada pelo operador dos Correios. Com o convênio, a empresa investia cerca de R$ 1.4 mil por mês para manter as atividades do local. Os custos passam para a Prefeitura. O agente administrativo do setor de Protocolos, Thiago de Oliveira Braga, destaca que o atendimento é necessário pois não há serviço de entrega na região. A unidade do bairro está ligada à agência central do município e centraliza as postagens. “No bairro, ela funciona há cerca de 20 anos e facilita muito o acesso para a população”, aponta Braga. Presidente da associação de moradores do Santa Luzia, Vilmar Belagnolo afirma que o serviço é fundamental para a comunidade. “Sem a unidade, precisamos nos deslocar até o Centro para pegar as correspondências e demais entregas. Não abrimos mão do atendimento e ficamos felizes em saber que vai continuar”, avalia o representante. Um servidor público ficará responsável por manter o serviço. Os Correios continuarão fornecendo equipamentos e capacitação para a equipe do local. A agência aguarda apenas o envio de documentos para o novo contrato seja celebrado. A empresa esclarece em nota oficial emitida ao jornal O Correio do Povo que a agência “não está contemplada nas metas de universalização e qualidade dos serviços postais básicos definidas na Portaria nº 6.206/2015-MC, que estabelece as condições de execução das atividades envolvendo os Correios em relação a localidades com população igual ou superior a 500 habitantes”. Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos fechou o ano passado com prejuízo em torno de R$ 2 bilhões e passa por um processo de corte de gastos. No começo do ano, o Ministério do Planejamento autorizou a abertura de um Programa de Demissões Voluntárias.