Foto Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Foto Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O receio da falta de combustíveis para abastecimento - em razão da paralisação dos caminhoneiros, levou muitos motoristas aos postos para encher o tanque nas últimas horas. Mas alguns estabelecimentos também aproveitaram essa grande de manda para aumentar os preços.

Além de ter menos gasolina nas bombas, o pouco que ainda resta está com o preço alto: o litro chegou a R$ 9,99 na madrugada de quinta-feira (24), no Distrito Federal.

Este foi o litro “recordista”, e foi flagrado pela TV Globo é de Águas Claras. Por causa disso, meia hora depois, o valor caiu pra R$ 5,99. Ninguém do posto quis falar sobre o assunto.

Em Jaraguá do Sul não foram registrados abusos nos preços e, segundo o Procon (Programa de Proteção e Defesa do Consumidor) da cidade. De acordo com o órgão, o preço começa a ser considerado abusivo a partir de R$ 6.

Caso sejam registradas cobranças acima deste valor, os postos responsáveis serão notificados.

-
Leia também:

Canarinho reduz horários de ônibus devido à falta de combustíveis em Jaraguá do Sul
-

Decisão judicial

Na quarta-feira, a Justiça proibiu o bloqueio de caminhoneiros na distribuidora da Petrobras no SIA, no Distrito Federal. A decisão prevê multa de R$ 100 à associação que representa a categoria, mas ainda cabe recurso.

A Polícia Militar negociou a saída de 16 caminhões com combustíveis, mas 20 minutos depois, a escolta foi cancelada. Manifestantes disseram que os motoristas que estavam na distribuidora não quiseram sair.

A paralisação também preocupa outros setores, como o alimentício. Esta manhã, o abastecimento de alimentos perecíveis é o primeiro a ser afetado e já falta nas prateleiras de SC.