Prefeitos da Região do Extremo Sul (Amesc) se reuniram no início desta semana para definir a agenda de atrações de fim de ano na cidade de Araranguá e região. No encontro ficou definido que as prefeituras seguiriam com a realização das festas e ações já planejadas, evitando apenas grandes aglomerações.

Porém, uma portaria do Governo do Estado publicado na última terça-feira (30) proíbe a realização de grandes eventos, mesmo que ao ar livre, por volta da variante ômicron, do Coronavírus.

Conforme o prefeito de Balneário Arroio do Silva, Evandro Scaini, a nova decisão do Estado frusta os planos dos municípios do Sul. "Nós fomos pegos no contrapé, tínhamos feito uma consulta com o Estado e nos disseram que não teria mais nenhuma portaria, foi onde tomamos a liberdade de fazer a reunião pra tomar uma decisão", pontuou o prefeito.

"Esses eventos de beira de praia, nós temos dificuldade de fazer o controle de pessoas, para fazer o 'evento seguro' como diz nessa nova portaria. Por exemplo, como vamos cerca a praia para fazer o controle da entrada e garantir a carteira de vacinação?", comenta Scaini.

Em virtude do decreto, algumas alterações foram necessárias. Em Balneário Arroio do Silva, serão mantidas as atividades esportivas já preparadas previamente como ginástica na praia, campeonatos de futebol e beachtenis. "Tudo será feito com regras, com pedido de carteira de vacinação e tudo", explica o prefeito

Arrancada e show da virada cancelados

Os grandes eventos, segundo o prefeito, como a tradicional arrancada de caminhões, realizada há mais de 30 anos, e o show da virada, não serão mais realizados. "Nós já tínhamos inclusive contratado a banda Dazaranha, mas vamos fazer apenas a queima de fogos. Não faremos a arrancada de motos, nem de caminhão e nem o carnaval", esclarece Scaini.

Estado afirma que portaria não proíbe realização de eventos

Em publicação feita na manhã desta quinta-feira (2) o Estado afirma que a portaria 1305, publicada pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) no último dia 30, não proíbe a realização de quaisquer tipos de eventos em locais abertos por prefeituras ou entidades privadas, como festas de Réveillon, por exemplo.

Conforme o Governo, o regramento apenas condensou uma série de documentos já publicados reforçando a obrigação de que organizadores e estabelecimentos sigam o protocolo de Evento Seguro, com a ampla divulgação de medidas preventivas à COVID-19 em todos os seus meios de comunicação.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp