Local é destinado para descarte de materiais considerados sem serventia | Foto Patrick Titz/PMJS
Local é destinado para descarte de materiais considerados sem serventia | Foto Patrick Titz/PMJS

A partir desta quarta-feira (27), os moradores de Jaraguá do Sul terão um espaço para deixar materiais considerados sem serventia.

No Ponto de Entrega Voluntária (PEV), os jaraguaenses poderão entrar com seus veículos e depositar móveis velhos, lâmpadas, baterias, pilhas, equipamentos eletrônicos, óleo de cozinha, latas e embalagens vazias e materiais recicláveis.

A iniciativa é da Prefeitura, por meio da Fundação Jaraguaense de Meio Ambiente (Fujama) e do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Samae). O espaço fica na rua Leocádio Rodrigues, no bairro Vila Lenzi, próximo à Arena Jaraguá.

O terreno pertence ao Município e não pode receber grandes edificações por estar na área do antigo lixão da cidade.

A Fujama fez a recuperação ambiental da região de 4 mil metros quadrados, com o plantio de 300 mudas de árvores nas margens de um ribeirão.

 

 

No terreno, foi construída uma guarita para controlar o acesso e caçambas identificadas para cada tipo de produto.

Segundo o presidente da Fujama, Normando Zitta Júnior, a Prefeitura dará o destino correto aos materiais depositados, reciclando o que ainda puder ser reaproveitado e encaminhando o restante para um aterro industrial devidamente licenciado.

O principal objetivo do PEV é oferecer um local para a população fazer o descarte consciente e evitar a formação de depósitos de lixo e entulhos em terrenos baldios.

“Só não serão aceitos resíduos da construção civil, podas de árvores e materiais tóxicos como latas de tintas e agrotóxicos”, reforça o presidente da Fujama.

Zitta Júnior também observa que o local é exclusivo para pessoas físicas, pois as empresas devem cumprir a política reversa de destinação de resíduos.

Todo o investimento na execução da drenagem, terraplenagem, guarita, cercas, grama, caçambas, limpeza do ribeirão, estabilização da massa de lixo existente (do antigo lixão) de aproximadamente R$ 800 mil.

O valor é oriundo de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) entre o Ministério Público de Santa Catarina, Prefeitura e uma empresa que cometeu infração ambiental.

“A autuação da Fujama foi parar no Ministério Público do Meio Ambiente, que aplicou a multa. No entanto, ao invés de recolher o valor, a empresa se comprometeu em entregar a obra do PEV pronta para a Prefeitura”, explica.

Funcionários readaptados da Prefeitura e do Samae vão trabalhar no local. O PEV funcionará de segunda a sexta-feira, das 7h às 19 horas, e sábados das 8h às 14 horas.

Mais fiscalização

Com um local voltado ao descarte correto de resíduos sólidos, a Fujama poderá intensificar a fiscalização deste tipo de lixo na cidade.

Conforme o presidente da Fundação, as pessoas já costumavam deixar móveis, embalagens e materiais eletrônicos nos arredores da Arena. "Agora não tem desculpa para não colocar no lugar certo", completa Zitta Júnior.

A Fujama deve incrementar a vistoria principalmente em pontos mapeados da cidade, que costumam ser alvo da população para o despejo incorreto.

No último bota fora realizado pela Prefeitura em 2018, foram recolhidas 670 toneladas de lixo e entulhos em Jaraguá do Sul.

Ainda não há estimativas de quanto o PEV deve receber de material por mês. Quando o assunto é lixo orgânico, os jaraguaenses produzem entre 90 e 100 toneladas por dia. Os dados são do Samae.

 

Com informações de assessoria de imprensa.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?