Estrutura foi inaugurada no fim da tarde de quarta-feira e representa investimento total de R$ 15 milhões - Foto: Eduardo Montecino/OCP Online
Estrutura foi inaugurada no fim da tarde de quarta-feira e representa investimento total de R$ 15 milhões - Foto: Eduardo Montecino/OCP Online
Acostumado a depender do carro para quase tudo, na manhã de ontem o publicitário João Marçal resolveu sair da rotina e tirar a bicicleta da garagem. Morador do bairro Rau, Marçal teve dois bons motivos para matar a saudade da “bike”: o dia ensolarado e a abertura da Ponte Desembargador Mário Rau (a conhecida Ponte do Rau), que veio para encurtar as distâncias há anos percorridas pelo morador. “Moro em Jaraguá do Sul há 15 anos e esta era uma demanda da região. É uma obra que vem para facilitar o acesso e trazer novas possibilidades. Não tenho dúvida de que vai ser algo muito bom”, afirma.
Com o movimento ainda moderado, motoristas aproveitaram para diminuir a velocidade e observar atentamente os detalhes da estrutura, que é hoje a maior passagem sobre o Rio Itapocu já construída pelo município, com 3.230 metros quadrados.
Localizado a quase três quilômetros da Ponte Maria Moser Grubba (a Ponte do Kohlbach), a estrutura deve ajudar a desafogar o trânsito pesado de toda a região, opina a administradora escolar Tania Dutra. “É uma obra importante porque liga dois grandes bairros e vai ajudar a distribuir melhor o fluxo de carros, que antes acumulava em alguns pontos e tornava o trajeto difícil”, resume ela.
Para Tania, o que ainda precisa melhorar é o acesso do lado do Amizade, que tem gerado dúvidas. “Está um pouco confuso, precisaria ter uma rotatória ou um semáforo, ou talvez um guarda de trânsito que pudesse orientar melhor até todo mundo se acostumar”, sugere a jaraguaense, que é proprietária de uma escola nas imediações da ponte e precisa trafegar pela região diariamente. A dificuldade, segundo ela, se dá principalmente na saída da ponte, pois o cruzamento com a Rua Vista Alegre exige a atenção do motorista em três pontos diferentes.
O vendedor Anderson Geremis, entretanto, acredita que a instalação de um semáforo acabaria prejudicando ainda mais o trânsito, pois geraria novos pontos de congestionamento.
“A rotatória é a melhor opção mesmo e depois disso vai ficar perfeito, só temos que esperar pela finalização desta parte do projeto”, defende o morador do bairro Amizade. Até lá, um pouco de atenção e costume com o trajeto devem ser suficientes, comenta ele. “O importante é que foi algo bem feito, como tem que ser para um investimento desse porte, e sem dúvida vai ajudar muito quem passa por aqui”, diz.
No total, foram investidos aproximadamente R$ 15 milhões na obra, entre as desapropriações e a construção da ponte e dos acessos. O projeto futuro é construir rotatórias nos acessos, segundo a Prefeitura.