Poeta Gil Salomon canta poemas no álbum Catarse

Em experiência inédita, escritor Gil Salomon deu voz a seus poemas através da gravação do CD Catarse - Foto: Rafael Verch/OCP Online Em experiência inédita, escritor Gil Salomon deu voz a seus poemas através da gravação do CD Catarse - Foto: Rafael Verch/OCP Online

Cotidiano

Por: OCP News Jaraguá do Sul

sexta-feira, 04:00 - 03/06/2016

OCP News Jaraguá do Sul
"São meus poemas fugindo do livro através da música”. É assim que o poeta Gil Salomon, 61 anos, define seu mais novo trabalho, o álbum Catarse, que traz o mesmo nome de um livro lançado em 2005. As poesias ganharam diferentes melodias e nova roupagem musical com o apoio de artistas da cidade, concretizando a primeira experiência do autor dentro de um estúdio. O poeta e agora músico explica que, no livro, ele “põe para fora” os sentimentos pessoais e sensações sobre aquilo que ocorre em seu entorno. “Essa realidade tão louca que poderia ser tão bela, mas que não deixamos ser”, enfatiza. Pouco mais de uma década depois do lançamento do livro, surgiu a ideia de musicar os poemas. A ligação com a música foi algo sempre presente em sua vida, sendo que alguns de seus poemas até tinham sido musicados, mas não foram gravados. “Conheci o músico Thiago Wickmann há uns dez anos e dei meu livro (Catarse) para ele. Viramos amigos e um dia ele disse que tinha feito música de um poema meu”, lembra. A ideia entusiasmou a dupla que estreitou ainda mais a relação e começou a amadurecer o projeto. “O Thiago é o melhor ‘achador’ de melodias, tem uma facilidade para musicar”, conta. Depois de seis meses no estúdio, com o apoio de Volmir Souza e Franco Hettwer, além das parcerias na parte gráfica, o CD Catarse tomou vida. O trabalho traz 17 músicas de Salomon, sendo que 13 são parcerias com Wickmann, da banda jaraguaense Camaleão Robô, três com Cícero Jerônimo da Silva e uma com Bruno D’Ambros. “Foi um trabalho de construção da minha voz, porque foi a primeira vez que entrei em estúdio. Todos os músicos tiveram uma liberdade para fazerem seu trabalho, afinal de contas eu sou poeta e eles músicos, e o resultado ficou muito bonito”, avalia o escritor. O CD está chegando “aos poucos” para o público. Para Salomon, o mais importante é sentir-se feliz no processo, dar passos com calma e aproveitar cada momento. “A chegada não é o que interessa, é o caminhar “, confessa. A intenção do poeta, que é membro da Associação de Letras de Joinville, é apresentar esse trabalho em pequenos shows. “Gosto dessa coisa intimista, de pequenos teatros, de cantar ‘no ouvido’ das pessoas e que elas tenham clareza de toda música”, explica. O álbum poderá ser conhecido de perto na próxima semana, pois ele fará um “show de bolso” - como chama o formato de voz ao vivo acompanhado do playback de estúdio - na sede da Associação Jaraguaense de Artistas Plásticos. A apresentação será na terça-feira (7), às 19h30, na abertura da exposição “Noscasulos”, de Maria Carmen Von Linsingen, com entrada gratuita. Além disso, o CD está à venda por R$ 20 na Grafipel, O Limbo Bazar do Rock e na loja Universo Paralelo. Com a cabeça fervilhando de ideias e novas poesias sendo musicadas, Salomon já tem planos para os próximos meses. Porém, com calma e serenidade, afirma que deixará cada projeto acontecer em seu devido tempo para aproveitar ao máximo as experiências.
×