Se alguma coisa não está bem, basta abrir a cortina e entrar no picadeiro que tudo muda. A dor de cabeça chata ou mesmo a tristeza saem de cena e a felicidade toma conta daquele que é também o responsável por despertar o sorriso no rosto do público. Atuando profissionalmente há mais de dez anos e tendo crescido dentro do universo circense, o Palhaço Pipo, de nascimento Fernando Santos, renova o ânimo para sua profissão a cada apresentação, gargalhada e olhar alegre que recebe. Aos seis anos de idade, o menino, nascido na cidade Ipatinga em Minas Gerais, explorou pela primeira vez a sensação de viver um palhaço no picadeiro. Porém, sua relação com esse espaço era muito íntima já que nasceu dentro do circo e é a quarta geração da família a atuar como o ‘rei’ do circo. “Está no sangue, acabei pegando o gosto e não teve como ser diferente”, explica. Palhaço Pipo circo Portugal - em (4) Santos até se arriscou em outras atrações circenses, mas não teve jeito. A paixão por ser palhaço falou mais alto. “Para mim o palhaço é uma coisa sagrada. Ele não tem dia ruim, todos os dias precisam ser bons porque o público vai ao circo para rir e é ele que vai arrancar as risadas. Acho que é a coisa mais difícil a se fazer no circo”, releva. O palhaço Pipo, que no início era chamado de Pipoquinha - apelido dado pelo pai ainda na infância -, começou a caminhar pelas próprias pernas e atuou em diferentes circos. Com a família, circulou praticamente por todo o país e na carreira solo, visitou quase a metade dos estados brasileiros. Palhaço Pipo circo Portugal - em (3) De humor leve e pegada infantil, Pipo integra a equipe do Circo Portugal, onde também atua no Globo da Morte. Quem acompanha Santos nas viagens é a mulher, que é bailarina no circo, e a filha, de quatro anos, que já dá sinais de que seguirá os passos dos pais. Como inspiração, Santos tem o trabalho de personagens conhecidos de Charlie Chaplin e Mr. Bean. “Pego essas referências antigas e trago para os dias atuais, misturando com o que temos hoje”, diz. Para ele, o principal feito de um palhaço é saber entender seu público. “Se ele entender completamente o que tem que fazer, já é metade do caminho. Entender quando alguma piada não funciona, quando é preciso improvisar, quando o público está receoso de participar”, explica. Palhaço Pipo circo Portugal - em (2) A mala grande, de cor verde, carrega a vida do palhaço Pipo, quando Fernando está de “cara limpa”. Chapéus, óculos, roupas, sapatos e outros adereços, além de claquetes, o cão “invisível” e outros itens que utiliza na apresentação, contam muito sobre quem ele é. “Tudo o que tenho desde os seis anos está aqui. A maquiagem também não pode faltar, ela é a identidade do palhaço”, admite. SERVIÇO O quê: Circo Portugal Onde: Rua Coronel Procópio Gomes de Oliveira, próximo ao Posto Behling Quando: diariamente os shows acontecem às 20h e nos feriados e fins de semana também são realizadas sessões às 15h e às 17h30 Quanto: a partir de R$15 para crianças e R$30 para adultos