Um dos donos da empresa teria sido detido durante a operação e levado para o Presídio Regional de Joinville.   A Polícia Federal (PF) de Joinville confirmou a realização, nesta sexta-feira, de operação na sede da Peccin Agro Industrial Ltda, empresa de beneficiamento de carne localizada no bairro Santa Luzia, em Jaraguá do Sul, em busca de possíveis irregularidades no processo de alimentos.
Movimentação de carros da PF foi registrada logo nas primeiras horas da manhã desta sexta, em direção ao bairro Santa Luzia. Foto: Divulgação
Movimentação de carros da PF foi registrada logo nas primeiras horas da manhã desta sexta, em direção ao bairro Santa Luzia. Foto: Divulgação
Segundo informações da PF, o dono do frigorífico, Normélio Peccin Filho, que se encontrava no local no momento da operação, foi detido e levado para o Presídio Regional de Joinville, onde deve aguardar transferência para Curitiba. A unidade de Jaraguá do Sul é filial do grupo que tem sede em Curitiba. - Leia mais: Empresa de Jaraguá do Sul é investigada na Operação Carne Fraca - A investigação atestou, entre diversas irregularidades, a utilização de quantidades de carne muito menor do que a necessária na produção de seus produtos, que eram complementados com outras substâncias, e a utilização de carnes estragadas na composição de embutidos, como salsichas, linguiças e até presunto. Em um dos áudios gravados com autorização judicial, um dos donos da empresa, Idair Antônio Piccin, conversa com a mulher dele, Nair Klein Piccin, sobre o uso de carne estragada, e mascarada durante o processamento, em lotes de linguiça. Eles chegavam a comentar que muitas moscas caiam na massa. Os dois tiveram pedidos de prisão preventiva decretada pela Justiça. Na tarde desta sexta, ninguém atendeu ao telefone na empresa. No local, os seguranças informaram que ninguém tem nada a declarar.