As altas temperaturas no verão também redobram os cuidados necessários para evitar acidentes com animais venenosos. A presença de cobras, aranhas e escorpiões, por exemplo, cresce com as chuvas e calor elevado. Apenas o período de férias concentra 40% dos acidentes com bichos peçonhentos, segundo a Secretaria de Saúde de Jaraguá do Sul. Uma mulher de 40 anos foi picada por um “escorpião do nordeste” em sua residência, em pleno centro da cidade. A ocorrência foi registrada há três semanas. No último dia 7, outra mulher de 40 anos foi picada por uma aranha no bairro Vila Nova. As duas passam bem. Do início do ano até agora, foram notificadas no município 13 ocorrências com cobras, 42 com aranhas e uma com escorpião, totalizando 56 acidentes relacionados a animais peçonhentos. Nenhum caso de morte foi registrado. Em 2016, foram 18 picadas de cobra, 42 de aranhas e uma com escorpião. De acordo com o diretor de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde, Dalton Fischer, o número de casos vem diminuindo desde 2014 e a tendência é que 2017 não tenha mais registros do que o ano passado. “A época exige que reforcemos os cuidados neste aspecto para prevenir”, observa Fischer. Em 2016, Santa Catarina teve 8.441 acidentes e, entre os meses de janeiro e novembro de 2017, um total de 7.998 ocorrências já foram registradas. Os acidentes com aranhas (5.174) foram responsáveis pela maior parte dos casos neste ano, seguidos dos acidentes por abelhas (866), serpentes (654), lagartas (599) e escorpiões (271). CUIDADOS PARA EVITAR ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS • Manter limpos sótãos, lavanderias, depósitos, quintais, jardins, garagens evitando acúmulo de materiais; • Rebocar paredes para que não apresentem vãos e frestas; • Vedar soleiras de portas com rolos de areia; • Examinar calçados, roupas e toalhas antes de usá-los; • Manter berços e camas afastados das parede; • Ao manusear materiais de construção, usar luvas de raspa de couro e calçados; • Acondicionar o lixo em recipientes fechados; • Realizar periodicamente a roçada e limpeza dos terrenos; • Usar botas em lugares com mato alto, hortas ou lavouras. Isto evita até 80% dos acidentes; • Proteger as mãos. Usar luvas de couro nas atividades rurais e de jardinagem; • Não colocar as mãos em tocas, troncos ocos. Usar um pedaço de madeira para verificar se não há animais; • Combater a presença de roedores, pois a maioria das cobras alimenta-se deles. Manter sempre limpos os terrenos, quintais e plantações. O QUE FAZER EM CASO DE PICADAS  • Movimentar-se o mínimo possível para não acelerar a absorção do veneno; • Localizar a marca da mordedura e limpar o local com água e sabão; • Cobrir com um pano limpo; • Levar imediatamente o acidentado ao pronto socorro, para que ele receba soro e atendimento adequados. De preferência, levar o animal peçonhento junto, ou foto dele. Menores de 12 anos devem ser levados ao Hospital Jaraguá e com 12 anos ou mais, ao Hospital São José. TELEFONES PARA EMERGÊNCIAS • Samu – 192 • Corpo de Bombeiros Voluntários – 193 LEIA TAMBÉM: - Quase 40 focos do Aedes aegypti já foram encontrados em Jaraguá do Sul