A Secretaria de Saúde de Guaramirim vai investir R$ 500 mil ao longo do ano para a realização de cerca de 200 cirurgias no Hospital Municipal Santo Antônio até o fim de 2018.

O montante vai contemplar as especialidades de otorrinolaringologia, urologia e cirurgia vascular, que são as mais procuradas no município.

Os recursos a serem investidos se tratam de verba própria do Fundo Municipal de Saúde, com suporte de emenda parlamentar de custeio do senador Dalírio Beber (PSDB), no valor de R$ 200 mil.

O secretário de Saúde, Marcelo Deretti, explica que a secretaria está fazendo o credenciamento dos médicos que serão contratados para realizar as cirurgias, mas não serão integrados à equipe de profissionais da pasta.

Secretaria está credenciando dos médicos que vão realizar as cirurgias | Foto Eduardo Montecino / OCP News
Secretaria está credenciando dos médicos que vão realizar as cirurgias | Foto Eduardo Montecino / OCP News

As primeiras cirurgias já começam neste sábado (19), iniciando pelos procedimentos de otorrinolaringologia, e na terça-feira (22) começam as cirurgias de urologia, continuando posteriormente.

Já as cirurgias vasculares ainda serão marcadas. O agendamento das cirurgias tem seguido a ordem das filas de espera, salienta o secretário.

Além disso, para o segundo semestre, a secretaria planeja um novo credenciamento para algumas cirurgias ortopédicas e de menor complexidade em proctologia.

Deretti observa que são poucos hospitais que realizam procedimentos em ortopedia, o que contribui para um represamento da fila de espera nessa especialidade.

Aumento da oferta

Atualmente, o hospital já realiza cirurgias pequenas e gerais, como de hérnia e de vesícula. Com a parceria entre Secretaria de Saúde e hospital, a entidade poderá aumentar os procedimentos que realiza.

Segundo Deretti, a parceria ajuda tanto a movimentar o Hospital como a reduzir as filas de espera do município. A expectativa é de uma redução em torno de 20%.

“Essa parceria veio muito a calhar, porque o Hospital não tinha condições financeiras para fazer essas cirurgias” afirma o gestor do Hospital, Jackson Testoni, destacando que a entidade conta com apenas um médico cirurgião geral. “A Secretaria vai disponibilizar os médicos, se não, não teríamos condições”, ressalta o gestor.

Parceria ajuda a reduzir as filas de espera do município | Foto Eduardo Montecino / OCP News
Parceria ajuda a reduzir as filas de espera do município | Foto Eduardo Montecino / OCP News

A dificuldade principal da entidade é mesmo a questão financeira, já que em relação à estrutura o Hospital é bem equipado, com três centros cirúrgicos, tendo capacidade de realizar entre 400 a 500 procedimentos por mês. No entanto, apenas duas salas estão em funcionamento.

Com a parceria com a Secretaria de Saúde, o Hospital também irá arrecadar mais recursos, já que por cada cirurgia a entidade recebe um determinado valor, pelo SUS (Sistema Único de Saúde), observa Testoni.

Os valores também são uma forma de contrapartida, já que o Hospital estará cedendo os centros cirúrgicos e demais profissionais para as cirurgias.

O aumento na produtividade permite também a criação da chamada série histórica. Conforme a produção do Hospital aumenta, ele poderá cada vez mais cobrar repasses do Estado.

A falta de uma série histórica é um dos problemas atuais do Hospital, comenta o gestor. No entanto, o retorno pelo incremento na produtividade se dá no médio a longo prazo, pontua Testoni.

Continuidade

O prefeito Luís Chiodini (PP) destaca que o governo municipal quer dar continuidade no investimento às cirurgias, e ainda realizar mais procedimentos neste ano, conforme a entrada de mais emendas ou recursos.

"A gente fica mais tranquilo de ver o munícipe sendo atendido aqui no município, pela logística", comenta o prefeito, já que fica mais fácil para o paciente e para a secretaria, além de haver retorno financeiro para a cidade.