Até o fim deste mês, equipes do Programa de Controle da Dengue de Jaraguá do Sul esperam realizar mais de 1.800 visitas para orientação sobre prevenção ao mosquito transmissor da dengue, o Aedes aegypti. A ação está acontecendo ao redor da área onde foram encontrados dois focos do mosquito no último mês. Até o momento foram contabilizados 33 focos – um aumento de mais de 150% em relação a todo o ano passado, quando foram 13 focos. De acordo com supervisora municipal do programa, Michelli Grasiela Pinheiro, apesar do aumento a situação não é preocupante, porque não existem pessoas com dengue em Jaraguá do Sul. O mosquito é um possível vetor, mas ele precisa picar uma pessoa doente para começar a transmitir o vírus. “Mas com o fim de ano as pessoas começam a viajar para férias e voltam com a doença. No próximo ano, poderemos ter um aumento no número de casos”, destacou. Para evitar uma epidemia, é preciso erradicar a raiz o problema: os focos. Segundo Michelli, a população relaxou nas ações de combate ao mosquito. “O pedido é muito simples. Não deixar nada que acumule água a céu aberto. As campanhas de rádio e televisão pararam por um tempo e começam agora com a chegada do verão, então acaba no esquecimento com a falta das propagandas”, destaca a supervisora. Importante lembrar também que com a proximidade do Dia da Finados, deve-se evitar vasos com água nos cemitérios. A Secretaria de Saúde solicita a colaboração dos moradores para a permissão do acesso dos agentes de endemias nas residências, edifícios e comércios. Esses profissionais, sem exceção, estarão trajados com colete verde da Prefeitura e crachá com foto. Como a área é de adensamento populacional e repleta de edifícios, Michelli afirma que visitas estão sendo feitas fora do horário comercial e aos sábados pela manhã.   Por Natália Trentini