Na religião Católica, o Natal revive a memória do nascimento do menino Jesus. O pároco da Igreja Matriz São Sebastião, padre Diomar Romaniv, explica que Deus enviou seu filho para nos comunicar seu amor e nos conduzir à vida eterna. Jesus assumiu em tudo a condição humana, menos o pecado. É o príncipe da paz, o conselheiro admirável, a luz verdadeira que ilumina a todo ser humano. De acordo com ele, a Igreja celebra o tempo do Advento, em quatro domingos, como preparação espiritual para o Natal. “O tempo do Natal tem como celebrações especiais: a noite do Natal; o dia do Natal, que se estende por oito dias, como um grande dia de celebração... celebramos a festa da sagrada família, a manifestação de Jesus para as nações recordando a visita dos reis magos e concluímos com o batismo de Jesus”, revela. Entretanto, o essencial é que as pessoas vivam o real sentido da festa, que celebra o nascimento de Jesus. “Na missa do último domingo eu mencionei cinco ações que nos ajudariam a celebrar bem o Natal: alegria, oração constante, gratidão, guardar tudo o que é bom e afastasse daquilo que é mau. Penso ser um intenso programa de vivência do Natal”, orienta. Padre Diomar enfatiza que Natal é encontro com Jesus. E para encontrar Jesus é preciso rezar, participar das celebrações nas comunidades. Ele indica que, nos lares, deve haver um destaque para o presépio, que recorda o nascimento do filho de Deus. “Manifesto meus votos de um Feliz e Santo Natal e que recebamos do menino Deus a paz e a justiça para construirmos, no hoje da nossa história, o Reino que ele veio anunciar”, salienta. LEIA TAMBÉM: - Para os luteranos, a reflexão sobre o Natal começa já no Advento