Posto do Continente que funciona 24h está fechado (Foto: Rafael Martini)

Posto do Continente que funciona 24h está fechado (Foto: Rafael Martini)

O quarto dia de paralisação amanheceu com pelo menos 76 bloqueios nas estradas federais e estaduais de Santa Catarina. As paralisações estão sendo monitoradas pelas polícias rodoviárias. Como as manifestações estão impedindo a passagem de veículos de carga, em sua maioria, o Estado está praticamente sem combustível nos postos.

De acordo com o vice-presidente do Sindicado do Comércio Varejista de Combustíveis Mineiras de Florianópolis, Joel Fernandes, 98% dos postos da Capital estão fechados nesta quinta-feira (24). Ele estima que o mesmo cenário se repita no restante do Estado.

Segundo o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo de Santa Catarina (Sindipetro), Mafra, no Planalto Norte; Criciúma, no Sul; São Francisco do Sul e Balneário Barra do Sul, no Norte, já estão totalmente sem combustível. Em Joinville, boa parte da rede também já está com as bombas secas. Jaraguá do Sul é uma das poucas cidades que ainda possui reserva.

Na noite de quarta-feira (23), a Petrobrás anunciou redução de 10% no preço do diesel (principal reivindicação dos caminhoneiros em greve, por conta dos constantes aumentos no valor do combustível). O congelamento no valor seria por 15 dias. Este seria o prazo para o governo dialogar com a categoria. No entanto, a estatal defende que o preço do combustível deve continuar flutuando de acordo com o dólar e o valor do barril no mercado internacional. Porém, o congelamento por 15 dias, não parece ser uma medida eficiente para acabar com a greve que ganha força em todo o País.

Confira os pontos das paralisações:

Região Sul

  • Imbituba (km 281 da BR-101): Obstrução de veículos de carga.
  • Imbituba (km 282 da BR-101): Obstrução de veículos de carga.
  • Imbituba (km 290 da BR-101: Obstrução de veículos de carga.
  • Tubarão (km 342 da BR-101): Veículos de carga convidados a parar;
  • Jaguaruna (km 354 da BR-101: Tratores estão obstruindo pista da direita de ambos os sentidos. veículos de carga são convidados a parar;
  • Araranguá (km 421 da BR-101): Veículos de carga são convidados a parar;
  • Araranguá (km 425 da BR-101): Obstrução de veículos de carga.
  • Maracajá (km 402 da BR-101): Veículos de carga são convidados a parar.
  • Içara (km 382 da BR-101): Obstrução de veículos de carga.
  • Sombrio (km 439 da BR-101): Obstrução de veículos de carga.
  • Santa Rosa do Sul (km 445 da BR-101): Obstrução de veículos de carga.
  • Forquilhinha (km 400 da SC-108): Manifestação com bloqueio de veículos de carga.
  • Treviso (km 25 da SC-446): Movimentação com bloqueio de veículos de carga.
  • Orleans (km 335 da SC-108): Manifestantes com bloqueio de veículos de carga.

Vale do Itajaí

  • Itajaí (km 116 da BR-101): Veículos de carga convidados a parar.
  • Itajaí (km 14 da Sc-486): Manifestantes solicitando adesão dos motoristas.
  • Naveganges (km 7 da BR-470): Veículos de carga convidados a parar.
  • Navegantes (km 11 da BR-470): Veículos de carga convidados a parar.
  • Indaial (km 68 da BR-470): Veículos de carga convidados a parar.
  • Indaial (km 75 da BR-470): Obstrução de veículos de carga.
  • Petrolândia (km 296 da SC-110): Bloqueio de caminhões de carga.
  • Gaspar (km 47 da BR-470): Veículos de carga são convidados a parar.
  • Apiúna (km 100 da BR-470): Veículos de carga são convidados a parar.
  • Ascurra (km 90 da BR-470): Veículos de carga convidados a parar.
  • Pouso Redondo (km 174 da BR-470): Obstrução de veículos de carga.
  • Laurentino (km 346 da SC-350): Manifestantes solicitando adesão dos motoristas.

Planalto Norte e Norte

  • Joinville (km 26 da BR-101): Veículos de carga são convidados a parar.
  • Araquari (km 21 da BR-280): Veículos de carga são convidados a parar.
  • Araquari (km 75 da BR-280): Veículos de carga são convidados a parar.
  • Mafra (km 7 da BR-116): Veículos de carga são convidados a parar.
  • Papanduva (km 54 da BR-116): Obstrução de veículos de carga.
  • Rio Negrinho (km123 da BR-280): Veículos de carga são convidados a parar.
  • Canoinhas (km 231 da BR-280): Veículos de carga são convidados a parar.
  • Canoinhas (km 235 da BR-280): Veículos de carga são convidados a parar.
  • Três Barras (km 4 da SC-120): Manifestantes às margens da rodovia.
  • Santa Tereza (km 375 da SC-350): Bloqueio de caminhões de carga.
  • Garuva (entre os kms 0 e 11 da SC-417): Manifestação às margens da rodovia.
  • Itapoá (entre os kms 17 e 22 da SC-416): Manifestação às margens da rodovia.
  • São Bento do Sul (km 123 da BR-280): Veículos de carga são convidados a parar.
  • Irineópolis (km 268 da BR-280): Veículos de carga são convidados a parar.
  • Massaranduba (km 108 da SC-425): Manifestantes solicitando adesão dos motoristas.

Região Serrana

  • Santa Cecília (km 138 da BR-116): Veículos de carga convidados a parar.
  • Lages (km 245 da BR-116): Veículos de carga convidados a parar.
  • Lages (km 247 da BR-116): Obstrução de veículos de carga.
  • Campos Novos (km 344 da BR-282): Veículos de carga convidados a parar.
  • Campos Novos (km 321 da BR-470): Obstrução de veículos de carga.
  • Correia Pinto (km 217 da BR-2116): Veículos de carga convidados a parar.
  • Curitibanos (km 247 da BR-470): Veículos de carga convidados a parar.
  • Curitibanos (km 249 da BR-470): Veículos de carga convidados a parar.
  • Curitibanos (km 252 da BR-470): Veículos de carga convidados a parar.
  • São Joaquim (km 304 da SC-114): Manifestação solicitando adesão dos motoristas.

Oeste e Meio Oeste

  • Nova Erechim (km 571 da BR-282): Veículos de carga convidados a parar.
  • Xanxerê (km 502 da BR-282): Veículos de carga convidados a parar.
  • Xanxerê (SC-480): Manifestantes solicitando adesão dos motoristas.
  • Maravilha (km 606 da BR-282): Veículos de carga convidados a parar.
  • Palma Sola (km 11 da SC-161): Manifestação às margens do trevo.
  • São Miguel do Oeste (SC-169): Manifestação às margens das rodovias.
  • São Miguel do Oeste (km 645 da BR-282): Manifestação às margens das rodovias.
  • São Lourenço do Oeste (km 4 da SC-157): Manifestaçã às margens da rodovia.
  • Tangará (km 140 da SC-135): Bloqueio com liberação de veículos com cargas vivas e automóveis.
  • Videira (km 119 da SC-135): Bloqueio com passagem de veículos de emergência.
  • Videira (km 49 da SC-355): Manifestação às margens da rodovia.
  • Fraiburgo (km 29 da SC-355): Manifestação às margens da rodovia.
  • Lebon Régis (km 2 da SC-355): Manifestação solicitando adesão dos motoristas.
  • Lebon Régis (km 163 da SC-120): Manifestação dos caminhoneiros às margens da rodovia.
  • Concórdia (km 97 da BR-153): Veículos de carga convidados a parar.
  • Concórdia (km 19 da SC-283): Movimentação de caminhoneiros às margens da rodovia.
  • Catanduvas (km 406 da BR-282): Veículos de carga convidados a parar.
  • Chapecó (km 534 da BR-282): Obstrução de veículos de carga.
  • Coronel Freitas (SC-157): Manifestação solicitando  adesão ao movimento .
  • Guatambú (km 107 da Sc-283): Manifestação às margens da rodovia.
  • São Domingos (km 1 da SC-480): Movimentação solicitando adesão ao movimento.
  • Campo Erê (km 2 da SC-160): Movimentação de caminhoneiros às margens da rodovia.
  • Itapiranga (km 106 da Sc-163): Movimentação solicitando adesão ao movimento.

Grande Florianópolis

  • Biguaçu (SC-407): Bloqueio de caminhos ao acesso à distribuidora da Petrobrás
  • Palhoça (km 216 da BR-101): Obstrução de veículos de carga.

As reivindicações

A Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam) protocolou na última segunda-feira (14), ofício para cobrar medidas do governo Federal em função do aumento das refinarias e dos impostos que recaem sobre o óleo diesel.

"As recentes paralisações feitas em diversas rodovias do país refletem o desespero e a insatisfação da categoria, que não têm seus pleitos ouvidos pela Governo. Além da correção quase que diária dos preços dos combustíveis realizado pela Petrobrás, que dificulta a previsão dos custos por parte do transportador, os tributos PIS e Cofins, majorados em meados de 2017 com o argumento de serem necessários para compensar as dificuldades fiscais do Governo, são o grande empecilho para manter o valor do frete em níveis satisfatórios", divulgou a Abcam.

A associação defende ainda que a redução dos tributos poderia impactar em queda nos custos da produção agropecuária, no preço do frete dos alimentos e nas tarifas do transporte em geral, o que beneficiaria a população.

No documento protocolado na Presidência da República e na Casa Civil, a Abcam sugeriu a "criação de um Fundo de Amparo ao Transportador Autônomo, destinado ao custeio de um programa para aquisição de óleo diesel, ou um sistema de subsidio para aquisição de óleo diesel por parte dos transportadores autônomos".

Quer receber as notícias no WhatsApp?