Por Verônica Lemus Alvo de moção de apelo proposta por vereadores de Jaraguá do Sul, a padronização das lombadas eletrônicas do município para 60 km/h depende de recursos financeiros, afirma o diretor de Trânsito, Irio Riegel. Isso porque, nos locais onde atualmente a velocidade indicada é 40 km/h, será preciso construir alternativas, como faixa elevada de pedestres, para reter o fluxo de trânsito. “Onde está 40 km/h é porque tem uma razão, por ser frente de escola, ou posto de saúde”, pontua o diretor. Riegel explica que a padronização para 60 km/h é prioridade do setor, mas que depende de verba para licitar a compra do material para fazer a substituição dos equipamentos eletrônicos para os meios físicos. Segundo Riegel, para a construção de uma faixa elevada de pedestres é necessário um mínimo de 10 toneladas de material, uma obra que custa em torno de R$ 7 mil. “Imagina então fazer dez faixas”, comenta o diretor, reforçando que no momento a pasta não dispõe de recursos. No município existem 15 lombadas eletrônicas de 40 km/h e 31 de 60 km/h. Os equipamentos que forem substituídos por faixas, complementa o diretor, poderão ser utilizadas em outros pontos da cidade. Além dos recursos, a padronização dos equipamentos dependerá também de análise e deliberação do Comcidade (Conselho Municipal da Cidade). Para o presidente do conselho, Luís Fernando Marcolla, a proposta não deverá enfrentar dificuldades para ser aprovada. Marcolla considera que a faixa elevada é mais eficaz para a redução da velocidade do que os meios eletrônicos, pois há motoristas que acabam passando em velocidade superior ao limite. “Com o elemento físico as pessoas têm que reduzir a velocidade. Eu considero que tecnicamente é mais efetivo e seria uma solução mais adequada”, salienta o presidente. A próxima reunião do Comcidade está marcada para 12 de julho e, conforme Marcolla, a padronização poderá ser item da pauta.