Segundo relatos de moradores do bairro Rio Hern, em Schroeder, mais de dez casas foram arrombadas por marginais na localidade desde dezembro. A situação vem se tornando frequente desde o ano passado, aponta a comunidade. Os crimes costumam acontecer durante o dia nas casas vazias. Os marginais, normalmente em dois, chegam com um carro, arrombam uma porta ou janela e entram no local para realizar os furtos, levando o que conseguem carregar. Nesta semana, um dos casos chegou a ser fotografado por um homem que estava no banheiro da residência e flagrou os ladrões entrando em uma casa do bairro. A Polícia Militar foi acionada, mas, ao chegar no local, os bandidos haviam fugido com o material. “Pagamos nossos impostos, e não temos o mínimo, que é segurança. A PM está bastante aqui, mas faltam policiais, está demorando para acontecer algo pior, assim não dá”, relatou o morador Ezequiel do Nascimento. A Polícia Militar de Schroeder teve um desfalque de efetivo no ano passado, segundo a corporação. Pelo menos dois policiais entraram para a reserva remunerada e outros três foram para Florianópolis participar do Curso de Formação de Sargentos. Desde lá, o efetivo não foi reforçado e as rondas, que antes tinham duas viaturas e uma motocicleta, agora contam apenas com um veículo. A delegacia de Polícia Civil conta com apenas um policial, o que dificulta na investigação dos casos. Para tentar coibir, ou amenizar a situação, os moradores criaram um grupo na rede social WhatsApp e fazem uma espécie de vigilância. Segundo o comandante do destacamento de Schroeder, sargento Silvio Lemes Padilha, tem de haver uma ação conjunta. “A PM está fazendo o possível e está à disposição, mas a comunidade tem que nos ajudar. Denunciando e principalmente não facilitando para os marginais. Ficar atento e deixar as portas e janelas trancadas é algo primordial” relatou. O prefeito do município, Osvalo Jurck, afima estar preocupado com a situação. “Nós estamos em cima dessa situação, buscando reforço para a PM e a Polícia Civil. Já procurei o deputado Vicente Caropreso e vou cobrar no comando geral mais policiais. Nossa região parece que está desassistida na questão de efetivo. Isso tem que ser revisto”, afirmou.