Há mais de um mês os motoristas que costumavam trafegar pela SC-415 sentido Barra Velha, são obrigados a desviar o trajeto pela BR-101. Principal via de acesso entre a microrregião e o Litoral Norte, a rodovia estadual está interditada na altura do KM 85, desde o início de abril, quando iniciaram as obras de recuperação da via.

Obras seguem na rodovia sentido Barra Velha. | Foto Eduardo Montecino/OCP News

Uma cratera de aproximadamente cinco metros quadrados se formou na rodovia, causando a interdição total da pista e deslocando o Deinfra (Departamento Estadual de Infraestrutura) para trabalhar na recuperação da SC-415, nas proximidades do Morro dos Monos.

O problema iniciou ainda no ano passado, quando foi registrada uma erosão na pista e, posteriormente, um buraco que começou a aumentar de tamanho. Após monitoramento do Corpo de Bombeiros Voluntários, o Deinfra iniciou a primeira etapa da obra no dia 10 de abril, abrindo um buraco de aproximadamente sete metros de profundidade no local.

A cratera que se formou na rodovia tem aproximadamente cinco metros quadrados. | Foto Eduardo Montecino/OCP News

A intenção era identificar com precisão o que causou o rompimento da pista. De acordo com o superintendente regional do Deinfra, Ademir Machado, uma galeria que passa abaixo da pista rompeu, provocando a erosão.

A obra, estimada para demorar entre 20 e 60 dias, segue na rodovia com funcionários trabalhando na recuperação da galeria. Após esse reparo, deve começar a fase de recuperação das camadas que compõem a base da rodovia.

Foto Eduardo Montecino/OCP News

A principal suspeita para o rompimento da galeria é uma combinação de fatores. A ação do tempo aliada ao fluxo intenso de veículos pesados que trafegam pela pista podem ter provocado o incidente.

Quer receber notícias no WhatsApp? Clique aqui.

Mais um mês e meio de obra

De acordo com Rodney Heyse, engenheiro fiscal do Deinfra, a estrutura deve ser concluída até o dia 10 de julho. O engenheiro afirma que, neste momento, os funcionários estão fazendo o escoramento para então partir para a próxima etapa, que é de construir a armação das ferragens da galeria.

“Depois das ferragens, vem a concretagem da laje e, aí vamos ter que aguardar no mínimo 15 dias para a cura do concreto”, explica.

Heyse conta ainda que depois será feito aterro da cratera, que possui cerca de oito metros de altura. Será necessário um volume aproximado de 3.100 metros cúbicos de material para nivelar a rodovia.

Estrutura deverá ser concluída até a segunda semana de julho. | Foto Eduardo Montecino/OCP News

"Depois disso tudo, inicia o serviço de pavimentação e finalizamos com o trabalho de sinalização horizontal e vertical”, complementa.

O engenherio explica que o incidente ocorreu porque uma das “tampas” da galeria se rompeu devido a ação do tempo e do fluxo de veículos pesados na área. Depois desse primeiro rompimento, ocorreu um “efeito dominó”, afirma Heyse. Segundo ele, a obra deve “durar cerca de 40 anos”.

Interdição custa mais aos motoristas

Enquanto os trabalhadores recuperam a pista, os motoristas se deparam com a rodovia fechada. Foi esse cenário que o vendedor Jackson Eiseler encontrou quando tentava fazer uma entrega a um cliente que mora em São João do Itaperiú.

Ao invés de chegar até ele, parou de frente para a placa que informava: “Perigo na pista, rodovia interditada”.

A cratera gigantesca foi o que Jackson encontrou ao tentar fazer uma entrega a um cliente que mora em São João do Itaperiú | Foto Eduardo Montecino/OCP News

Motorista recorrente da SC-415, o vendedor de Agrolândia utiliza a rodovia para acessar com mais agilidade os clientes da região. Para ele, embora haja a possibilidade de desvio pela BR-101, a interdição impacta tanto no tempo gasto quando no dinheiro que sai do bolso.

“Eu dependo da rodovia para trabalhar, ir de um cliente a outro. Claro que tem essa opção [do desvio], mas acaba sendo mais demorado e causando mais gastos do que ir por aqui”, diz.

Para os motoristas que normalmente utilizam a rodovia para acessar São João do Itaperiú e Barra Velha, o desvio ocorre pela BR-101. O Deinfra instalou placas de sinalização no acesso à rodovia pela SC-108 e ao longo da própria SC-415.