Do total de investimento previsto na SC-110, que liga Jaraguá a Pomerode, 24,91% foi pago pelo governo até agora - Foto: Lúcio Sassi/Arquivo OCP
Do total de investimento previsto na SC-110, que liga Jaraguá a Pomerode, 24,91% foi pago pelo governo até agora - Foto: Lúcio Sassi/Arquivo OCP
As três obras do Pacto por Santa Catarina previstas para serem entregues este ano em Jaraguá do Sul totalizam um investimento de R$ 26,3 milhões. Deste valor, 49,6% está concluído, o que representa um montante de R$ 11,7 milhões.
A obra mais avançada é a nova escola do bairro Tifa Martins, que até agora recebeu R$ 5,9 milhões em investimentos, o que representa 78,06% do total dos R$ 7,7 milhões previstos. Na sequência, vem o Centro de Inovação, no Três Rios do Sul, com 46,54% da obra concluída e R$ 2,6 milhões pagos. A obra está orçada em R$ 5,6 milhões.
Fechando a trinca está a restauração da SC-110, que liga Jaraguá do Sul a Pomerode, com R$ 3,2 milhões pagos, de um total de R$ 13 milhões, o que representa 24,91% dos investimentos calculados. No entanto, os custos da reestruturação da rodovia devem sofrer mudanças, tendo em vista que o Deinfra autorizou um reajuste no orçamento para compensar o aumento no valor do CAP (Cimento Asfáltico de Petróleo), que foi próximo a 80% no período considerado.
Em entrevista recente, o secretário de Desenvolvimento Regional, Leonel Floriani, estimou que as três obras devam ser concluídas ainda em 2016 e que a Agência tem trabalhado para garantir mais agilidade na finalização dos projetos.
O programa também inclui mais cinco obras em andamento: a readequação da rede elétrica das escolas Lilia Ayroso Oechsler e Holando Marcellino Gonçalves (R$ 51 mil); a pavimentação das ruas Gerard Gumz, no Garibaldi, e Benildo Zamin, no Centenário (R$ 2 milhões); e uma operação de tapa-buracos nas rodovias locais (R$ 120 mil).
Seis projetos aguardam sinalização da Prefeitura
Outras seis obras previstas pelo Pacto por SC em Jaraguá do Sul dependem da resolução de trâmites burocráticos junto à Prefeitura do município. Conforme a assessoria de imprensa da ADR, duas delas aguardam a documentação do poder público para serem executadas: as obras de drenagem da Ponte do Vailatti, orçada em R$ 150 mil, e a instalação de um elevador na Unidade Básica de Saúde Renato Pradi (Caic), ao custo de R$ 50 mil. A informação é de que os recursos já foram liberados.
Além disso, os quatro kits de transposição de obstáculos (os chamados kits para pontes, que somam cerca de R$ 655 mil em investimentos), doados através da Defesa Civil do Estado, aguardam a construção das cabeceiras, de responsabilidade do município. Uma das cabeceiras de concreto foi finalizada ontem (30) pela Secretaria de Obras do município, no bairro Garibaldi. A projeção da secretaria é concluir o trabalho em aproximadamente 45 dias.
Desde o início do programa Pacto por SC, em 2012, o Governo do Estado investiu R$ 35,329 milhões em obras em Jaraguá do Sul, levando-se em conta somente os projetos concluídos. O número representa 54,6% dos investimentos em obras previstos na cidade, que totalizam R$ 64,6 milhões.
Duas obras em fase final na microrregião
Nos demais municípios da microrregião, duas obras devem ser finalizadas em breve. O Cedup (Centro de Educação Profissionalizante), em Guaramirim, orçado em R$ 10,6 milhões, está com 96% da estrutura concluída e deve ser finalizado em um prazo de 40 dias, segundo informações da ADR.
A escola General Rondon, em Massaranduba, está com 98,9% da obra terminada e será solicitado um prazo aditivo para a conclusão da parte final, que inclui pintura e outros acabamentos. A obra terá o custo final de R$ 5,4 milhões.
Em Schroeder, a licitação para a construção do Creas e do Cras precisará ser refeita devido à revisão de detalhes técnicos e ainda não há data para o início das obras, orçadas em R$ 835 mil. Em Corupá, o projeto de estruturação da trilha que leva à Rota das Cachoeiras aguarda documentação da Prefeitura.
No total, R$ 18,8 milhões serão investidos em 14 obras em andamento nos quatro municípios, além dos R$ 8,5 milhões oriundos do Fundam (Fundo de Apoio aos Municípios), que serão utilizados em estruturas de saúde e mobilidade.