Outubro se despede e chega o mês voltado à saúde dos homens. Novembro ganha a cor azul para conscientização deles sobre a importância da prevenção: a cada 36 minutos, um homem morre no Brasil vítima de câncer de próstata, segundo dados do Ministério da Saúde. Foram 14.484 mortes em decorrência da doença no país em 2015. Leia mais: Câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens Diante desses números, os cuidados com a saúde e o diagnóstico precoce se torna peça fundamental. Conforme a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), 20% dos pacientes são diagnosticados em estágios avançados da doença, o que faz com a taxa de mortalidade chegue a 25% dos pacientes. Em Jaraguá do Sul, o movimento de conscientização é liderado pela Rede Nacional de Saúde do Homem – fundada na cidade por Antônio Marcos de Souza. Ao longo do mês, a entidade segue com as palestras em empresas, apontando essa realidade. “Queremos dar visibilidade à rede e chamar a atenção. Está aumentando substancialmente as estatísticas desfavoráveis ao homem. Enquanto 70% das mulheres fazem a prevenção, 70% dos homens não fazem, até mais do que isso, 90%. É o trabalho de formiguinha para convencer um, convencer outro”, aponta De Souza. No próximo dia 6, a Rede começa a comercialização de camisetas para arrecadar fundos para manter as atividades e mobiliar a sede recém-aberta, na rua Expedicionário Gumercindo da Silva (em frente ao supermercado Giassi). As peças serão vendidas à R$ 25. O ponto alto do mês está marcado para o dia 18 de novembro, quando acontece uma caminhada de mobilização saindo da sede em direção às ruas centrais. Um almoço promovido no dia também será fonte de renda para entidade. De acordo com o presidente, uma das prioridades é contratar um psicólogo permanente para atender as famílias antes, durante e depois do tratamento. “Quando um médico dá um diagnóstico, provoca um desequilíbrio emocional imensurável. Também tem toda a dificuldade de marcar cirurgia, cumprir leis federais para prazos de atendimento, isso deixa as pessoas desorientadas e queremos ajudar”, destaca o presidente. Na última semana, um encontro estadual debateu questões relacionadas às políticas públicas de atenção ao homem na saúde, um dos resultados do trabalho da Rede. *Reportagem de Natália Trentini