Na Umbanda, conforme o babalaorixá Antônio Piasson, da Tenda Espiritual São Benedito, a comemoração do Natal cristão é algo natural. Isso porque a maioria dos umbandistas e médiuns praticantes veio da religião cristã. Inclusive, complementa, muitos praticantes seguem uma corrente doutrinária denominada Umbanda Cristã, muito parecida com o Espiritismo Kardecista. “Dezembro é um mês mágico que altera o estado de espírito das pessoas, principalmente dos umbandistas, que já comemoram Yemanjá, Yansã e Oxum no começo dele. Ainda temos o dia 25, quando a cristandade celebra o nascimento do mestre Jesus”, destaca. O pai de santo revela que a maioria dos centros umbandistas coloca em seus altares a imagem de Jesus no degrau mais alto, prestando-lhe uma reverência e adoração sublime, devido seu sincretismo com o orixá Oxalá, o maior dos orixás cultuados na Umbanda. “Esse respeito e reverência ao mestre Jesus enobrece ainda mais a Umbanda, a mais tolerante das religiões existentes no Brasil”, enfatiza. Piasson, que preside a Federação da União dos Cultos Afro-Brasileiros (Fuca), explica que Umbanda acolhe em seus centros seguidores de todas as outras religiões com amor e respeito, sem constrangê-los com perguntas sobre suas crenças, mas auxiliando onde elas não podem ou em casos que seus sacerdotes não sabem lidar, como a mediunidade e os problemas espirituais de fundo cármico. O encerramento do ano ocorreu no último dia 15, com homenagens a Oxalá, que seria Jesus Cristo. “Fizemos nossas preces, nossas orações, agradecimentos ao ano que passou e já agradecemos o ano que virá. É uma festa entre amigos, entre pais e filhos, com troca de presentes, amigos secretos, uma festa normal, como em qualquer outra religião”, conclui. LEIA TAMBÉM: - Budismo traz em sua essência a prática de respeitar as tradições e culturas de um povo – Na doutrina espírita, viver o sentido do Natal é estudar e aprender as lições que Jesus nos passou – Para os católicos, o Natal é tempo de encontrar Jesus através das celebraçõesPara os luteranos, a reflexão sobre o Natal começa já no Advento