Superar os desafios da desinformação e conseguir aumentar a cobertura vacinal da cidade. Essa é a meta da Secretaria Municipal de Saúde, através do setor de imunização que tem, de fato, um grande desafio pela frente. A partir de segunda-feira (6) Campanha Nacional de Vacinação contra Poliomielite e Sarampodeve ajudar a levar a população até os postos de saúde.

Em 2017, segundo dados da Secretaria, Jaraguá do Sul ficou abaixo da média preconizada pelo Ministério da Saúde no que diz respeito à cobertura vacinal. A vacina triviral, que age sobre o sarampo, a rubéola e a caxumba teve uma cobertura de 86.9% da população, enquanto o mínimo recomendável é de 95%.

E é justamente o sarampo que tem preocupado o Ministério da Saúde que atualizou, na última quarta-feira (18), os números de casos no país. Segundo os dados, atualizados até o dia 17 de julho, dois estados enfrentam surtos: Roraima e Amazonas.

No total, são 677 casos confirmados, sendo 444 no Amazonas e 216 em Roraima. Na região sul, apenas o Rio Grande do Sul confirmou casos, são oito até o momento. Outros 2.724 permanecem sendo investigados.

Apesar de não ter nenhum caso confirmado ou investigado no município, ações estão sendo realizadas para conscientizar a população sobre a importância da vacinação. Recentemente, a Secretaria lançou a campanha “Vacina é coisa de família”, que busca envolver todo o núcleo familiar na prevenção.

Foto Arquivo/OCP News

Segundo a enfermeira e supervisora de imunização da Secretaria, Ana Kneipp, a baixa cobertura vacinal é provocada por um conjunto de questões, mas ela destaca a importância da proteção.

“É bom lembrar que ninguém está imune a doenças virais e bacterianas. Hoje nós não temos nenhum caso no município, mas temos surtos no país e casos no estado vizinho. Com uma cobertura baixa, não é difícil que a doença acabe entrando aqui”, ressalta.

Público-alvo da campanha

Na campanha que começa na  segunda-feira, a meta nacional é imunizar mais de 11 milhões de crianças com idade entre um ano e menores de 5 anos, público mais suscetível a complicações de ambas as doenças. O Dia D de mobilização está previsto para 18 de agosto, um sábado, quando cerca os postos de saúde na microrregião estarão abertos.

Eliminação do sarampo em 2016

Há dois anos o Brasil recebia da Organização Pan-Americana da Saúde, o certificado de eliminação da circulação do vírus do sarampo e, caso o mesmo surto registrado neste momento permaneça por 12 meses, o país perde o certificado.

De acordo com o Ministério da Saúde, os casos registrados atualmente foram importados, ou seja, vieram de fora do país. A constatação foi feito de acordo com o genótipo do vírus (D8), que é o mesmo que circula na Venezuela, garante o ministério.

Quem pode ser vacinado?

Para pessoas entre 12 meses e 29 anos, o Ministério da Saúde disponibiliza duas doses contra o sarampo. Além disso, pessoas com até 49 anos também podem receber a vacina, neste caso, a administração é de uma dose.

Mas há quem não possa receber a vacina: gestantes, casos suspeitos de sarampo, crianças menores de seis meses de idade e pessoas imunocomprometidas.

-

Quer receber as notícias no WhatsApp?