Todos os anos, milhares de adolescentes passam pelo rito de passagem que é considerado o baile de debutantes. O momento é a realização de um sonho, a abertura de um novo horizonte. Nesta semana, pela 21ª vez, um grupo de idosas jaraguaenses irá provar que não há idade para celebrar este momento tão especial.

Integrantes da Associação dos Grupos de Terceira Idade de Jaraguá do Sul (AGTI), 19 mulheres com idade entre 60 e 84 anos vão participar do Baile de Debutantes, promovido pela entidade em parceria com a Secretaria de Assistência Social.

A expectativa entre as participantes é alta, principalmente para Erica Friedemann Ignowski, de 84 anos. Ela recorda que não teve festa de 15 anos e nem de casamento quando era mais jovem. "As coisas eram mais difíceis antigamente, passei por 13 cirurgias ao longo da vida. Esse momento era um sonho", declara.

Foto Eduardo Montecino/OCP News

Outra jaraguaense que adiou o desejo de debutar foi Sibila Lescowicz, de 75 anos. A moradora do Garibaldi não passou pelo rito na adolescência, mas pensou em fazer alguns anos atrás, no mesmo baile. "Eu queria, mas meu marido faleceu, aí eu desisti", comenta.

A habilidade para dança ficou guardada até esta edição do baile, onde quem vai acompanhá-la é o neto Arthur Miguel, 19. "É um sentimento novo, nunca imaginei que faria isso. Estamos realizando um sonho de três pessoas, meu, da minha avó e do meu avô. Acho que estou mais ansioso que ela", destaca Miguel.

O baile vai acontecer neste sábado (24), a partir das 19h, no Parque de Eventos. Os ingressos são vendidos pelos grupos que também auxiliam as debutantes com o vestido conforme a disponibilidade de cada um. A noite de princesa terá direito a valsa, músico ao vivo e muita diversão.

Prova dos vestidos

Na terça-feira (20), as idosas e seus pares fizeram uma prova do traje social que irão vestir e ensaiaram o momento da dança.

Presidente da AGTI, Matilde Walz acompanhava atenta a prova de roupa das debutantes. Segundo ela, a madrinha dessa edição da festa será Janice Breithaupt. A banda convidada, é a Guarani, de Pomerode.

A expectativa é de um público de cerca de mil pessoas. O dinheiro arrecadado com a venda dos ingressos será dividido entre os grupos proporcionalmente à venda efetuada por cada um.

A secretária da Assistência Social e Habitação, Maria Santin Camello, completa que a experiência é única para quem participa e acompanha o baile.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger